Pelados na Paulista

Maquina Perfeita

  • Foto – Flecha – CMI Brasil
  • A primeira edição da World Naked Bike Ride em São Paulo foi o que poderia se esperar, uma celebração controversa da bicicleta e da mobilidade sustentável. Durante a concentração, mais curiosos do que ciclistas, presença massiva da mídia e policiais a pé, de moto e felizmente muitos homens fardados em bicicletas também.

    O passeio nem mesmo começou e já estava claro que o objetivo de chamar a atenção tinha sido alcançado com louvor. Mas somente quando os ciclistas se descolaram dos fotógrafos e curiosos foi possível constatar que as bicicletas estavam lá para ganhar as ruas em massa.

    Aos poucos, pedalando com pouca roupa alguns foram tomando coragem de seguir o exemplo de Renata Falzoni e tirar todas as vestimentas. Durante a festa, um dos ciclistas foi preso pela Polícia Militar e acabou sendo o “mártir nu” da pedalada, já que todos os outros sem roupa não chegaram a ser perturbados. Os ciclistas seguiram para a Delegacia para “defender uns dos seus”. Os gritos de “Ô Delegado, libera o Pelado” ecoaram pela Rua Estados Unidos, no chique bairro dos Jardins. Confirmado que André Pasqualini seria liberado após os devidos procedimentos, a pedalada (já vestida) seguiu de volta para a Praça do Ciclista, onde tudo sempre acaba em festa e confraternização.

    Como todo evento com grande cobertura da mídia e que envolva prisão uma enorme disparidade de versões foi lançada. Mas certamente só quem estava lá, vivenciando a avenida Paulista tomada de bicicletas pôde ter uma impressão verdadeira do que aconteceu: uma festa humanizadora na mais famosa artéria motorizada de São Paulo.

    O saldo final é que o movimento sem líderes da Bicicletada segue sendo um mistério a ser decifrado pela sociedade paulistana. Mas tem tido enorme sucesso em chamar a atenção para a importância de se olhar para a bicicleta em São Paulo.

    Mais:
    Tudo sobre a World Naked Bike Ride São Paulo no nakedwiki.org

    3 thoughts on “Pelados na Paulista

    1. Sou admimirador do Cicloativismo e gostaria de saber da possibilidade de ser promovida uma atividade desta na região periférica da Zona Leste, especialmente porque com certeza, será onde o Prefeito começará a destruir as ciclofaixas construídas pela gestão anterior( Fernando Haddad ). Caso haja esta possibilidade, pode contar comigo no que for necessário, especialmente de contatar os ciclistas da região. Sou morador do Bairro de Guaianases, próximo à Cidade Tiradentes. Fico no aguardo.Grande abraço !

      1. Adalberto,

        A pedalada pelada não foi organizada por nós. E acontece todos os anos por iniciativa espontânea das pessoas interessadas. Basta unir pessoas interessadas e pedalar tão nu quando quiser. A data sugerida para a próxima edição no Brasil é 10 de março de 2018.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *