Mais bicicletas para a Cidade luz

No dia 15 de julho, dia posterior ao feriado nacional da Queda da Bastilha, os franceses, mais especificamente, os parisienses, terão mais um motivo para comemorar. Nesta data será lançado um grande programa de aluguel de bicicletas, que pretende instalar estações eletrônicas de retirada e devolução a cada 250 metros por toda a cidade e chegar em 2008 com mais de 20.000 bicicletas disponíveis para a população.


Foto de usuário das bicicletas de aluguel, disponíveis desde 2005 em Lyon, França.
Créditos: John Ward Anderson – The Washington Post

Segundo declaração de autoridade da prefeitura de Paris, o objetivo do programa: “não é só modificar o equilíbrio entre os meios de transporte e diminuir a poluição do ar, mas também modificar a imagem da cidade, ter uma cidade onde os seres humanos ocupam um maior espaço.”

Em tempos de consolidação da União Européia e da globalização, nos quais milhares de trabalhadores têm grande mobilidade quanto ao local onde querem trabalhar e viver, as cidades começam a competir entre si, preocupando-se em investir na qualidade de seu espaço urbano, melhorando a qualidade de vida de seus habitantes, para atrair mais trabalhadores e mais capital e promover um maior desenvolvimento econômico e social.

Bom para Paris, bom para os parisienses e para os mais de 22 milhões de turistas que a cidade recebe a cada ano, que poderão descobrir os encantos da “cidade luz” com a agilidade e eficiência que só as magrelas podem proporcionar. Paris a velo, c’est formidable!

Os termos da parceria entre a Prefeitura de Paris e a empresa prestadora dos serviços, a Cyclocity, subsidiária da empresa de propaganda JCDecaux é também muito interessante. Serão 10 anos de concessão, com investimento inicial de 85 milhões de euros. Toda receita das operações serão pagas à Prefeitura, que também receberá da empresa a taxa anual de funcionamento no valor de 3,2 milhões de euros.

A contrapartida para a empresa será a exploração dos mais de 1.600 outdoors pertencentes à prefeitura pelos mesmos 10 anos. Mesmo assim, quase metade deste espaço deverá ser disponibilizado à prefeitura sem custos para campanhas de interesse público. Infelizmente o bom exemplo parisiense não chegou à São Paulo, onde ao que tudo indica, a prefeitura começa a instalar por si própria mobiliários urbanos, que serão provavelmente explorados pela mesma multinacional francesa, informa o Apocalipse Motorizado.

  • Mais informações:
  • Bicicletas em Paris no Washigton Post (em inglês).
    via blog Vou de Bicicleta

    Tags .Adicionar aos favoritos link permanente.

    Deixe uma resposta