Em favor das reduções de velocidade

Rua Alvarenga das Bicicletas

Rua Alvarenga logo após a ponte Cidade Universitária.

A Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET) reduziu o limite de velocidade no eixo composto pelas avenidas Rubem Berta e 23 de maio. Antes a velocidade máxima permitida podia chegar a 80 km/h em alguns trechos e agora passa a ser de 70 km/h nos quase 8,3 quilômetros em questão. Nas palavras do comunicado da CET:

Medida visa padronizar velocidade no corredor Norte/Sul e proporcionar maior segurança

São dois pontos em que os interesses dos condutores de veículos a motor e ciclistas são afetados positivamente. Ainda que o eixo das avenidas seja inadequado para a circulação de bicicletas.

Muitos motoristas reclamam, com razão, da dificuldade de respeitar os limites de velocidade que variam em uma mesma via. Igualar o limite dentro em um eixo viário resolve o problema. A medida implementada por hora somente no eixo norte/sul, poderia ser expandida para as ruas locais e outras avenidas de São Paulo, uniformizando as velocidades máximas e encorajando os motoristas a conduzir de maneira uniforme e em acordo com a segurança viária.

From São Paulo Trânsito

Ainda em relação a segurança, as avenidas Rubem Berta e 23 de maio concentram um grande fluxo de motoqueiros que, na maior parte do dia, trafegam por entre os carros. Reduzir o limite irá beneficiar portanto os condutores e passageiros desses frágeis motorizados. Limites de velocidade condizentes com a segurança de todos e que sejam fáceis de respeitar são portanto uma medida extremamente positiva.

Incrivelmente, ainda ecoa entre alguns motoristas e na mídia opiniões contrárias a redução da velocidade. Opiniões que carecem de um mínimo de bom senso e tem uma visão extremamente estreita da realidade das ruas. Durante a maior parte do dia a velocidade máxima da via, ou de qualquer via em São Paulo, é irrelevante. A quantidade de veículos motorizados impede o fluxo de todos. Reduzir o limite portanto implica em uma pequena perda nos horários de trânsito livre.

From São Paulo Trânsito

Dois comentários no blog do Luís Nassif, que tratou sobre o assunto, resumem a questão. No primeiro a distância percorrida em metros em cada uma das velocidades e a segurança.

Numa velocidade de 80km/h vc a cada segundo vc avança 22,5 metros e a 70km/h vc avança 19,5 metros, parece pouca diferença, mas considerando que o tempo de reação é de 3/4 de segundo e que a distancia de frenagem após a reação será de 39,5 metros em pista seca para um veiculo a 80km/h e de 34,5 metros se estiver a 70km/h, teremos um total de 56 metros para 80km/h e de 49 metros para 70km/h, são sete metros de diferença, basicamente uma vez e meia o tamanho de um automóvel.

O segundo comentário, trata de uma situação imaginária caso todo o trecho pudesse ser percorrido a uma velocidade constante.

O trajeto do aeroporto de Congonhas até o vale do Anhangabau tem 8,4 km. Os tempos para percorrer este trajeto serão:
70 km/h = 7,2 min
80 km/h = 6,3 min
A diferença é 0,9 min, ou 54 segundos.

Parcela ínfima dos mais de 17.000 quilômetros de ruas e avenidas, esses 8.300 metros passam a ser representativos em relação ao que pode ser feito na cidade. Regular a velocidade tendo a segurança como prioridade é uma medida que salva vidas sem trazer perdas a fluidez motorizada, já tão comprometida. Facilitar a vida do condutor motorizado pode beneficiar a todos, independente do veículo escolhido.

Mais:
CET ALTERA REGULAMENTAÇÃO DE VELOCIDADE NAS AVENIDAS 23 DE MAIO E RUBEM BERTA
As mudanças de velocidade e a indústria da multa

Relacionados:
Um Número Mágico
Devagar e Sempre em Copacabana
Visão Zero
Reduza a velocidade
Vias Expressas
Devagar e Sempre, o ritmo das cidades

Tags , , , .Adicionar aos favoritos link permanente.

Um comentário para Em favor das reduções de velocidade

  1. Arthur diz:

    Muito importante a redução da velocidade, para uma constante compatível com a via. Porém os argumentos do “André”, autor do post no site do Nassif são muito furados e trazem a visão única de um “motorista piloto”.
    A idéia de “velocidade natural” na 23 de maio ser de 80 Km/h é um absurdo!
    Todos sabemos que ela tem várias curvas que limitam a velocidade e diversas vezes causam colisões traseiras nos veículos, as pistas são estreitas e a idéia de “dirigir naturalmente sem precisar olhar para o velocímetro”, é outro absurdo tamanho, que dá vontade de rir o dia inteiro!
    Mas tudo bem, é só questão de tempo até a maioria das vias pararem, ou não passarem de 10-20 Km/h (dizem que em 2012). Quando isso ocorrer, teremos que repensar as modalidades de transporte, priorizar os transportes coletivos (óbvio) e utilizar mais bicicletas!
    Velocidade Natural: hahahaha.

Deixe uma resposta