Onde se fabricam ciclistas

Foi inaugurada a maior ciclovia paulistana, 14km ao longo da margem do rio Pinheiros. Entre a água e os trilhos do trem, a pintura vermelha é bem visível para os milhares de helicópteros que sobrevoam a cidade. Por isso e pelos ciclistas que já circulam a nova pista é iconica. Cartão postal de um ângulo desconhecido da cidade e que engloba a bicicleta, personagem de crescente importância na paulicéia.

Críticas foram feitas. Na inauguração, são apenas 2 acessos, um em cada extremo do trajeto. É pouco, muito pouco e praticamente inviabiliza o uso da pista como meio de transporte. O horário restrito pela falta de iluminação é outro ponto, só será possível pedalar entre as 6 da manhã até as 18 horas. Mas felizmente são novos problemas que estão exatamente uma pedalada a frente.

Já no primeiro fim de semana, os ciclistas tomaram as pistas, carentes de espaços para desfrutar a cidade. Serão esses ciclistas e a repercurssão positiva na mídia que farão com que esse espaço seja ampliado, os acessos construídos e a malha cicloviária da cidade aumente para cada vez mais melhorar a circulação de quem já pedala e de quem quer pedalar.

Reverter o curso da urbanização centrada no automóvel particular é um trabalho complexo. E tal e qual manobrar um navio transatlântico, é preciso que o capitão dite o rumo e os tripulantes visualizem e sonhem com o novo destino. Construir cidades para pessoas passa por angariar apoio político e uma opinião pública favorável.

São Paulo deve muito aos que já conquistam as ruas diariamente pedalando, mas a cidade precisa aprender a “fabricar” mais ciclistas e espaços de qualidade para a circulação de bicicletas é uma excelente maneira de atingir o objetivo. Tudo para que, devagar e sempre, cumpra sua verdadeira função, habitat artificial das frágeis criaturas humanas.

Mais opiniões sobre a nova ciclovia do rio Pinheiros:
Ciclovia da Marginal, legal!
Ciclovia do rio Pinheiros – um bom resumo
O que seria melhor: abrir o espaço já ou esperar mais dois anos para ‘talvez’ ter ciclovia inteira?

Posts relacionados:
Sete Mandamentos Cicloviários
Fluxos de Água e de Vida
E o rio Pinheiros continua sendo…
Pedalar é Descobrir

Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos link permanente.

5 comentários para Onde se fabricam ciclistas

  1. Brenê diz:

    Já imaginaram fechar duas pistas de todas as ruas só para os carros??? Apenas suas pistas para os carros e TODAS as outras para as bicicletas??? Utopia??? Futuro??? Quem sabe um dia isso seja verdade e possível…..

  2. Perfeitas as colocações.
    Fabricar ciclistas é um trabalho de formiguinha, por enquanto. É o que tentamos através do Ciclo (Re)Ativo fazer. Incentivar para que as bicicletas abandonem as garagens e tomem as ruas.
    Procuramos dar o máximo de dicas e toques em passeios dominicais, feitos em roteiros curtos e de fácil execução. Mesclamos a bicicleta com a cidade e com a cultura. A cada passeio que fazemos visitamos uma exposição, mostra, museu, parque, etc. diferente e gratuito.
    Que sigamos e consigamos cada vez mais fabricando e botando nas ruas mais e mais bons ciclistas!

  3. Rafael diz:

    Quanto à iluminação, não lembro onde li (acho que no blog da @alinizinhazona ), que estavam instalando postes de iluminação alimentados por energia solar. Sonhei?

  4. Eduardo Merheje Jr diz:

    Excelentes iniciativas que governos passados falavam e não praticavam o Interparques e Parques Lineares, e os Caminhos Verdes do Plano Diretor de 2002/3 não passaram de algumas plantinhas nos canteiros… Desculpem o senso crítico…

    Fabricar ciclistas é permitir o bom humor ocupando o espaço público da Cidade de São Paulo… É produzir novos humanos.

    Não importa a falta de saneamento!… Nossa força ajudará conquistar… No Litoral da Praia Grande foi assim tambem, primeiro a Ciclovia e agora o saneamento,

    Saudações Ciclistas,
    eduardomerge

  5. nao, nao sonhou rafael… os captadores estao la, mas a pressa em inaugurar pela metade reflete em questoes como essas. um dia a coisa sai

Deixe uma resposta