Como começar bem o dia

Arrancada de jeans

A maneira como escolhemos ir de um lugar a outro na cidade influi diretamente sobre nossa percepção em relação a cidade.

Começar bem o dia de bicicleta é aquela velha história do vento no rosto e a endorfina no sangue. Mas um “experimento pedestre” vale a pena ler.

Rodolpho foi ao trabalho a pé e resolver dar “bom dia” a todas as pessoas que encontrasse no caminho, sem exceção. Do porteiro do prédio até o pessoal da reforma, todo mundo foi saudado igual.

Resultados obtidos:
1. Moradores de rua, ciclistas e pedestres de calça jeans: responderam com “bom dia”;
2. Motoristas: não responderam e colocaram uma cara que eu descreveria como “vou te atropelar”;
3. Pedestres em roupa social ou terno: ignoraram;
4. Pedestres do sexo masculino, quando há uma bunda feminina para observar: ignoraram o “bom dia” também.

Conclusões:
1. Motoristas odeiam pedestres que andam mais rápidos que eles;
2. Preciso fazer a barba e cortar o cabelo, os moradores de rua estão me achando um deles;
3. Roupa social e bundas femininas tornam uma pessoa mais arrogante.

Pode ser uma experiência maluca ou uma pequena tese de antropologia, mas com certeza é sempre divertido estar vivo e experimentar sua própria cidade.

Leia a postagem original: “Experimento Matutino“.

Relacionados:
O Valor de Andar a Pé
Crônica das onze horas
O Prazer e Teoria da Relatividade
O mais simples meio de transporte

Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos link permanente.

Um comentário para Como começar bem o dia

  1. Diogo diz:

    massa João.
    eu já tinha percebido isso também.
    ultrapassar um motorista (a maioria) é quase como desafiá-lo à morte.
    ultrapassá-lo valendo-se de um veículo que custa menos do que o dele é chamá-lo para a briga.
    para o motorista comum é uma humilhação ver-se ancorado no interior do carro potente mas parado, enquanto você com sua bicicleta quase flutuam pelos caminhos afora.
    o cara perde totalmente a noção.
    é quando ele descobre (com prazer) que um carro pode se transformar em arma.
    ele não hesita em, quando surge a oportunidade, ultilizá-lo para ameaçar quem quer que seja, colocando em risco a vida de todos ao redor.
    prefiro nem pensar muito nisso porque meu temor só aumenta…

Deixe uma resposta