O gigante chinês

Para resolver os problemas de mobilidade nas grandes cidades do mundo, é preciso oferecer opções cômodas, rápidas e seguras. Um exemplo chinês ajuda a visualizar como um bom projeto em prol da bicicleta rende frutos para melhorar a mobilidade de uma cidade inteira.

O sistema de bicicleta públicas de Hangzhou, uma cidade no sudeste da China, já começou grande: tinha 2.800 bicicletas e 61 estações. O serviço foi lançado em maio de 2008 para uma população de cerca de sete milhões de pessoas.

Hoje, passados três anos, Hangzhou tem o sistema de bicicletas públicas que mais cresceu em todo o mundo: 2.050 estações e 51.500 bicicletas, que são utilizadas diariamente por 240 mil cidadãos, com picos de 320 mil viagens por dia.

O sucesso está no fato de que há uma verdadeira integração entre o sistema de bicicletas e a rede de transportes públicos. Após usar a bicicleta, o usuário tem até 90 minutos para pegar um ônibus, dentro da mesma tarifa. As estações de bicicletas estão a pouca distância entre elas – 200 a 300 metros, no centro da cidade – e a primeira hora de utilização é gratuita. Estes são outros dois fatores que fazem de Hangzhou um caso de estudo de sucesso global.

O sistema de bicicletas públicas obteve a maior taxa de satisfação entre todos os projetos desenvolvidos na cidade. Os cidadãos afirmam que, com o crescente tráfego e congestionamentos, as bicicletas tornam as viagens mais rápidas e convenientes.

Para melhorar a mobilidade na cidade chinesa, a previsão é que sejam 175 mil bicicletas públicas até 2020.

Confira no vídeo (em inglês):

The Biggest, Baddest Bike-Share in the World: Hangzhou China from Streetfilms on Vimeo.

  • Visto em: Greensavers e Treehugger.com
  • .:.

    Mais bicicletas públicas no blog

    Tags , , .Adicionar aos favoritos link permanente.

    Um comentário para O gigante chinês

    1. Jan diz:

      Ola Zé , que história legal! Será que aqui um dia poderemos sonhar em ter algo assim?
      Meus sincéros parabéns pelos cinco anos do Bolg TA ! E pelo trabalho que vocês fazem !
      Um abraço,
      Jan

    Deixe uma resposta para Jan Cancelar resposta