De Bicicleta na Rio+20


O Rio de Janeiro está no centro da discussões sobre sustentabilidade e o futuro do planeta. Em tempos de Rio+20 a cidade fervilha com discussões, painéis, mostras, mesas abertas, espaços fechados. Estarão presentes líderes do mundo e também uma enorme diversidade de povos.

Entre a diversidade da Cúpula dos Povos no Aterro e os líderes planetários no longíquo RioCentro quilômetros de vias asfaltadas, engarrafadas e com transporte público com serviço abaixo da qualidade de adequada.

A solução está na diversidade, combinar diversos meios de transporte adequados a necessidade do usuário. Nesse contexto, corre por fora a bicicleta pública. Aquela que é compartilhada por milhares de usuários, está sempre circulando e tem estacionamentos seguros espalhados pela cidade afora.

Infelizmente as estações nem sempre são próximas aos destinos ou ainda é preciso circular em meio a multidões de pedestres. Nessa hora chega o patinete. Aquela veículo de duas rodas que junta um pouco do skate, do patins e da bicicleta tudo para ir mais rápido e com menos esforço do que caminhar.

O conjunto bicicleta mais patinete é show ao unir praticidade das duas rodas em diferentes formas.

Fica assim estabelecido, o ranking. Para as grandes distâncias o ônibus e metrô, para aquelas abaixo de 10km e principalmente em torno de 5km a bicicleta, para aqueles deslocamentos ágeis em torno de 1km, corre por fora o patinete.

Por fim, pra quem pedala ou se desloca através da própria força e garante um ar limpo e menos consumo de energia, dia 21 tem pedalada da Rio+20. É a Rio+Bike, não é um protesto, é uma proposta.

Tags , , , , .Adicionar aos favoritos link permanente.

3 comentários para De Bicicleta na Rio+20

  1. Zé Lobo, eu estive de bike na Cúpula dos Povos. Faltou infraestrutura para deixarmos nossas bicis. Vi mt bike espalhada, amarrada em poste, árvore, em td qto é lugar (fica "feio"). Não basta usar a bike, tem que ter ONDE deixar a bike. Ninguém está a fim de ir e não poder voltar.

    Hj em dia o q eu + sinto falto após anos e anos de T.A. usando bici é poder parar a bike com segurança e facilidade. Temos que cobrar isso das autoridades constituídas. E já na Rio-20 faltou este exemplo (pelo menos EU não vi, no Aterro e no Pier Mauá).

  2. fernando brahga diz:

    eu tb fui e3 estacionei minha bike no bicicletario dos correios na cupula dos povos e no forte copacabana tb ainda entrei sem precisar enfrentar aquela fila kilometrica na francisco otaviano

Deixe uma resposta