Ficam proibidos os capacetes para ciclistas

Será que promover o capacete é promover a segurança?

Será que promover o capacete é promover a segurança?

O capacete para ciclistas é e deveria continuar a ser uma opção pessoal de cada ciclista. Mas infelizmente a fé de alguns contamina a percepção e faz com que diversos ciclistas acreditem que é possível promover o uso da bicicleta e ao mesmo tempo os capacetes de isopor para os ciclistas.

Por isso é fundamental que seja extinto o capacete de qualquer peça publicitaria em favor da bicicleta. Alguns motivos:

  1. Não retrata a realidade, afinal nas contagens de ciclistas realizadas Brasil afora, nem 1% dos ciclistas hoje nas ruas usam.
  2. Estigmatiza a bicicleta e o ciclista, afinal se a promoção ao uso da bicicleta é sempre focada no capacete, quem não usa (a maioria dos ciclistas brasileiros) é colocado de fora do modelo divulgado.
  3. O vínculo entre bicicleta e capacete reforçado em peças publicitárias comunica ao público não ciclista que a bicicleta é perigosa e por isso precisa de equipamentos de proteção.
  4. O capacete carrega a noção de que pedalar é coisa de atleta (que normalmente usa capacete).
  5. A presença do capacete na publicidade ajuda a culpabilizar os ciclistas “sem equipamentos de proteção” nas ruas.

Fica portanto o marketing e a promoção ao uso do capacete como função exclusiva dos fabricantes de capacete e não dos que esperam que nossas ruas estejam cada vez mais repletas de ciclistas. Sem distinção de equipamentos.

Ps.: 

Aos amantes do capacete que aqui expressaram suas opiniões pessoais.

Indicamos dois links da European Cyclists Federation (Federação Européia de Ciclistas) – ECF, sobre o assunto:

Porque o capacetes não são eficientes na redução de ferimentos em ciclistas” (em inglês).

Porque a Federação Européia de ciclistas defende o capacete como opção individual e é contra a promoção do medo na publicidade de capacetes (em inglês).

Tags , , , , , , .Adicionar aos favoritos link permanente.

154 comentários para Ficam proibidos os capacetes para ciclistas

  1. Isso vai dar uma boa polémica! Rsrsrs! Quero ver!!

    • Everton diz:

      Queria ver esse cara pedalar a pelo menos 40km e dizer que capacete é desnecessário.

      Ou ele podia fazer um vídeo caindo no chão demonstrando que não aconteceria nada…

      • Conrado diz:

        Desculpe-me Everton, mas eu sou ciclista há mais de 30 anos, em minhas saídas semanais dificilmente pedalo menos de 40km (sábado foram 64km) e abomino o uso de capacete.
        Exigir o uso de capacete é elitizar, e não é o que queremos!

        • Judson diz:

          qro ver depois de levar uma queda a 45km/h se vc vai continuar aboninando o capacete ^^

          • Conrado diz:

            Caro Judson, algumas perguntas:
            Vc acredita realmente q um capacete de bike te protege numa queda a 45km/h?
            Vc acha que uma pessoa que tem uma barra-forte ou bicicleta similar, e a utiliza diariamente para ir ao trabalho, e outras tarefas corriqueiras, vai, alguma vez na vida dela, passar dos 15km/h?
            Vc crê que essa pessoa deva usar um capacete?
            Exigir dessa pessoa o uso do capacete, nao vai aumentar sua segurança, só vai tirar seu meio de transporte.

          • Eu caí a 40 km/h e o capacete me salvou. Capotei com a bicicleta e quando eu já estava caído no chão, a bicicleta caiu nas minhas costas. Guardei o capacete com a marca da coroa na parte de trás, se eu estivesse sem ela teria cravado na minha cabeça.

  2. Esta questão ciclstas x capacetes é bem polemica, se for analisar pelas estaticas, risco, probabilidade, nível de proteção, não é um “meio coco” de isopor que irá fazer alguma diferença.
    Quando ao uso na cidade, eu uso mais pelo “impacto visual” do que pelo nivel de proteção que o capacete oferece.

  3. Eduardo Accioly diz:

    Quero ver no momento de uma família querer processar o autor do texto que influenciou a criança a não usar um capacete que deveria ter evitado o estado vegetativo pós-queda de bicicleta. “Cada um faz o uso que quer de seu crânio”, será conscientemente?

    • acho q deveria ser obrigado o uso para criancas e idosos e adolescentes e adultos fica a opcao de usar ou n , mas oq eu entendi eh que eles querem acabar com a publicidade de usar capacete ja ki cada um usa se quiser e se vc bater a cabeca e morrer a culpa n eh da bike a culpa eh sua por n ter usado capacete q poderia ter te protegido

  4. Lucas Red diz:

    cara vc faz ideia do absurdo q vc escreveu ai?

    como ciclista e publicitário acredito que quanto mais for estimulado o ciclista brasileiro a se adequar em segurança e modos no transito, mas direitos nós conseguiremos

  5. altair diz:

    Uma das maiores bobagens que já li nos últimos tempos.

  6. Thiago diz:

    (em apoio, apenas)

  7. Tadeu Jnr diz:

    Discordo. Acho que é preciso estimular o uso de todo e qualquer tipo de segurança, por menor que seja o nível de segurança que este equipamento venha a oferecer. Todo cuidado é pouco.

    • Thiago diz:

      Deveríamos então fazer com que os pedestres usassem tornozeleiras, joelheiras e proibir mulheres de salto, já que o número de “acidentados” em calçadas péssimas é brutal?

      O que o texto fala é sobre a promoção do uso de bicicletas, ou seja, fazer com que tenhamos mais ciclistas nas ruas, porque mais ciclistas nas ruas geram mais segurança. Mais segurança coletiva do que o uso individual do capacete.

      E se você quer ter mais ciclistas nas ruas, você não deve dizer “cuidado, é perigoso, você precisa de uma armadura, ser jovem e homem para fazer isso”.

      • Thiago, o nosso corpo é preparado para receber impactos em velocidades que podemos atingir a pé. Dificilmente uma pessoa vai morrer por cair andando, seja qual for a condição da calçada. Já os ciclistas, multiplicam e muito essa velocidade, além de não andarem nas calçadas, protegidos. Os ciclistas dividem vias com veículos mais pesados, mais fortes, mais rápidos… Foi uma comparação infeliz…

        Eu quero ver mais ciclistas nas ruas e quero vê-los equipados. Usar capacete não protege apenas dos perigos impostos por outros carros, por desrespeitos etc… protege também caso você caia vítima de um problema na bike, uma manobra mal feita etc…

        Mostrar ciclistas usando capacete em propagandas não passa a ideia de que o ciclismo é perigoso, passa sim a ideia de uso responsável de um veículo!

  8. Fred França diz:

    Absurdo, bobagem, paraplegia, estado vegetativo. Ora amigos, andemos pelas ruas com coletes à prova de balas, máscaras respiratórias descartáveis e luvas de látex! Continuem sendo coniventes com a falta de respeito às bicicletas no trânsito e a falta de estrutura nas nossas cidades a partir desta imagem míope de periculosidade do uso da bicicleta como meio de transporte. Deixo esta foto como incentivo a mudança a partir de um outro ponto de vista. http://dc.streetsblog.org/wp-content/uploads/2010/11/dutch-bike-lanes.jpg

    • Tenho uma ideia melhor. Deixemos de usar cinto de segurança, capacete em motos e de atravessar nas faixas de pedestres…

      • Fred França diz:

        Exato! Estes são paralelos perfeitos de convenções sociais de segurança e podemos utiliza-los como premissas nesta argumentação.SQN.

        • Ricardo diz:

          Esses paralelos são totalmente sem noção. itens de segurança para carros (cinto de segurança, freios ABS e AirBags) COMPROVADAMENTE reduzem lesões em acidentes envolvendo carros, assim como o capacete de motociclismo. Os capacetes de ciclismo reduzem, no máximo, escoriações (ralados e cortes) no couro cabeludo e face.

  9. Thiago diz:

    Apoiado! E vai um primeiro link sobre como a imposição do capacete sequer melhorou as estatísticas de traumas na cabeca (porque a thread vai ser longa) http://www.conbici.org/joomla/index.php?option=com_content&view=article&id=1161%3Ala-imposicion-del-casco-en-canada-no-modifico-la-tasa-de-lesiones-en-la-cabeza&catid=18&Itemid=58

    • Fernando diz:

      Li o estudo ao qual a matéria se refere (http://www.bmj.com/content/346/bmj.f2674) e me parece que as conclusões a que o estudo chegaram são:

      -- Redução de 54% em internações por acidente ciclístico com trauma na cabeça nos estados que adotaram legislação que obrigue o uso do capacete, contra apenas 33% nos estados que não têm essa legislação.

      -- Capacetes reduzem o risco de danos ao cérebro em 88%, à cabeça em 85% e à face em 65%.

      -- Na divisão geográfica Canadense, utilizada para separar a amostra da pesquisa, somente nos Territórios Canadenses se observou um aumento de intercações por acidente ciclístico com trauma na cabeça, e foi exatamente nos Territórios onde a legislação que obriga o uso de capacete não existe. Em todos os outros estados e províncias se observou queda nas estatísticas.

      -- As maiores reduções nas taxas de internação por acidente ciclístico com trauma na cabeça foram observadas nas províncias com legislação de capacete.

      • Ricardo diz:

        Fernando, leia com mais atenção o texto. Vou deixar aqui a conclusão dos autores:

        “Using segmented regression analysis, we did not detect a statistically significant effect of helmet legislation on the rate of hospital admissions for cycling related head injuries per total admissions for cycling related injuries among young people in the year after legislation was implemented”

        Ou seja: não há diferença…

  10. Acho muito importante, já presenciei e vivenciei alguns tombos em que o capacete fez a diferença.

  11. Como esse pessoal que não usa bicicleta fala bobagens, tenha uns tres amigos que estao vivos por causa do capacete.

  12. Marcos Pereira Pimenta Rocha diz:

    Tal informação, certa ou errada deveria vir a ser postada com pelo menos um LAUDO TÉCNICO dado por um instituto, universidades ou Defea Civil sobre o tema. Uso contumazmente e ainda acho que tem que ser obrigatório o Capacete com QUEICHEIRA, tipo os usados por motociclistas, evitaria muito traumatismo, tais como quebra de mandíbulas, nariz, dentre outros. Agora levantar uma questão hipotética sem alguma razão que justifique, verifica-se uma primariedade absurda de quem nunca foi ciclista. Qualquer tema, mesmo hipotético para que seja analisado tem que se ouvir a técnica e neste faz-se necessario . Marcos Pomenta -- Brasília/DF.

  13. Letícia diz:

    Só precisa usar capacete o ciclista que tem cabeça!

  14. O capacete reflete o nivel de seriedade e comprometimento do ciclista. Se è alguèm que usa a bike sò pra pagar de gatao ou ir na esquina comprar pao, pra que capacete? Ja que as ruas sao lugar super seguros, ninguèm morre de bicicleta no transito e cabeça dura nao quebra, pra que capacete? Quem vai levar a vò na ciclovia de domingo, realmente nao precisa. Quem tem filho, usa pra dar o exemplo. Quem ja perdeu a memòria caindo de bike, tambèm usa. Quem começou a andar agora, e tem uma dificuldade em usar um capacete leve e ventilado maior do que a motivaçao pra usar a bicicleta, prefere nao desarrumar o cabelo. As leis do homem a gente muda, discute, gera polemica. As leis da fisica sempre foram e vao continuar sendo as mesmas pra todos.

    • Thiago diz:

      Leonardo, não entendi direito o lance da seriedade e comprometimento, pode explicar melhor? Um ciclista com capacete que pedala que nem um idiota é mais sério do que um que pedala de maneira mais prudente e não usa capacete?

      Me parece que a sua visão de “seriedade” está muito associada à imagem e eu sinceramente acho isso bem complicado.

      As outras razões que você cita, ok, elas são uma opção individual. Se você tem convicção de que te traz uma segurança efetiva, beleza, use. Mas saiba que nem isso é comprovado.

  15. ez diz:

    ja cai de cabeça no chão. Ainda bem que eu estava de capacete, pois o mesmo fiicou completamente ralado. minha cabeça nem arranhou…

  16. Sérgio diz:

    Polêmico? Não tem nem o que comentar de uma postagem dessas, já rachei 3 capacetes, dois em trilhas e um no trânsito pedalando em baixa velocidade quando um carro me atropelou e eu caí de costas batendo a cabeça com força e não senti NADA. Nem pra padaria eu vou sem capacete

  17. Luís Bulek diz:

    Só estou escrevendo isso aqui hoje, graças ao meu CAPACETE que impediu que eu tivesse o crânio rachado no asfalto, fui fechado por um veículo e voei por cima do capô do carro batendo no chão, de costas e com a parte de trás da cabeça. O capacete de uma polegada rachou e meu crânio saiu ileso.
    Isso de dizer que a porque a maioria não usa não quer dizer que estão corretos, a maioria dos ciclistas anda na contra-mão também, e estão errados.
    Não quer usar capacete, problema seu, mas saiba você que crânio não pega solda.

  18. Tiago Trindade diz:

    Não entendi nada, quem proibiu o capacete para ciclista? Sou ciclista e sempre que usar a bicicleta usarei meu capacete.

  19. José Augusto diz:

    Que texto confuso… não consegui entender a essência da crítica! Foi alguma propaganda estimulando o uso do capacete? Qual o link da propaganda? Quem promoveu? Se foi, qual o motivo do ataque? Deveria estar reclamando o autor se virasse obrigatoriedade, e não o contrario! Me desculpe João Lacerda, mas não vi fundamento algum na sua crítica.

  20. Anderson diz:

    acho este texto no mínimo ignorante…. já tomei tombos que poderiam ter me matado se não fosse pelo capacete.. ao ponto de arrebenta-lo ao meio e não sofre nenhum ferimento na cabeça… acho que vc poderia utilizar seu tempo com dicas mais úteis do que esta….

  21. Desculpe mais o Ciclista sempre usa capacete, quem não usa é Bicicretero . . . Segurança em primeiro lugar …

  22. Aaron Oliveira diz:

    Por mim deveria ser obrigatório, sei que é incomodo, desconfortável de usar e de carregar por aí, mas se acontecer algo sem capacete, provavelmente você irá para o hospital, e será tratado com o dinheiro publico, e ainda poderá ocupar a vaga de alguém, que pode não ter tido, a escolha de usar capacete ou não, mas também acho que que os capacetes deveriam ser de melhor qualidade, e não uma peça de isopor que quebram no manuseio, e também deveriam ser mais baratos, assim como todas as peças de bicicletas, mas uma peça de segurança deveria ser mais acessíveis.

  23. Eduardo diz:

    Eu quase sofri um acidente porque a presilha que ajusta a fixação do capacete na nuca enroscou na alça da minha mochila e impediu que eu movesse a cabeça.
    Porém eu ainda acho que ele é muito necessário!
    Tá certo que não dá tempo para pensar nisso durante uma queda, mas você já fica mais preocupado em proteger outras partes do corpo…

  24. A discussão não é Eu uso x Não uso, ou Acho importante x Não acho. Usar capacete é uma escolha individual, cada um usa se quiser e ninguém tem nada a ver com isso.

    A discussão é que essa pressão para que os outros usem capacete influencia na imagem negativa da bike como veículo perigoso. Quanto mais a gente bate na tecla do capacete, mais afastamos pessoas que poderiam começar a pedalar. E inúmeros estudos já comprovam que a medida mais eficiente para a segurança de ciclistas nas ruas são mais ciclistas nas ruas.

    Você não dá bronca no seu colega porque o carro dele não tem airbag.

  25. Toninho Carvalho diz:

    Sou a favor, deveria ser obrigatório sim…além de ser muito mais bonito, a segurança existe sim…

  26. Rafael Apuleo diz:

    Como protagonista de várias quedas, algumas delas com impacto direto no cranio, não posso deixar de pensar que se estivesse sem capacete em duas delas, provavelmente não estaria aqui redigindo estas linhas. Se você atingir mais que 15 km/h de velocidade recomendo fortemente o uso do capacete. Me passa pela mente, também, que quanto mais se usar e quanto mais forem vendidos mais acessíveis eles serão.

  27. O que direi já foi dito em comentário acima como “impacto visual”. Em outras palavras: tentar passar uma boa imagem para o motorista. Esperar ser tratado, menos mal, por usar o capacete.

    Eu faço essa merda, conscientemente.

    Certa vez no trânsito, percebi que “matei a carreira” de um motoqueiro (motoboy) e fiquei literalmente esperando um ataque raivoso (olha meu preconceito).

    Mas não veio ataque raivoso (aliás, só recebo ataque raivoso no transito dos que se denominam motociclistas). O motoqueiro, no lugar de ataque, sorriu para mim, depois disse com firmeza: Cara, use o capacete. Não dê mais um motivo para os motoristas lhe escurraçarem! Os motoristas me tratarão menos mal? NÃO. Com certeza não. Mas eu não consigo sair sem capacete, desde aquele dia. Talvez para me punir e me lembrar sempre o mal juízo que fiz do cara.

  28. Oscar diz:

    Discordo dos argumentos deste artigo. Mas posso estar errado, pois não sei o que poderia ter acontecido caso eu não estivesse usando capacete em um acidente que sofri a algum tempo, onde o mesmo capacete “meio coco de isopor” partiu em 3 partes com o impacto. Pode ser que eu tivesse morrido, ou ficasse paraplégico, ou sofresse um corte na cabeça, ou apenas um inchaço, ou nada… mas como foi o capacete que se quebrou em 3, melhor a “proteção” do que eu.

  29. Perfeito artigo: racional, lúcido e consistente. Parabéns!!
    Infelizmente a maioria dos ditadores do capacete nunca se questionou sobre a real utilidade no trânsito urbano convencional, assim como nada questionam em suas vidas.

  30. Se vc anda todo dia, um dia vai cair, isso é fato e estatística, todo membro quebrado dá pra encaixar, menos o crânio, por isso sempre q posso eu uso, e quem não usa normalmente é porque tem vergoinha e fica buscando se justificar por aí…

  31. Guilherme Wright diz:

    Gosto muito deste blog e geralmente concordo com as opiniões aqui expressas, mas acredito que este tema é bastante delicado e não concordo com a abordagem. Promover a bicicleta sem o uso do capacete é exatamente a mesma coisa que promover dirigir carros sem o usar o cinto de segurança. A mesma coisa. Sem por nem tirar. Um trauma causado por um impacto na cabeça a 10 km/h pode ser fatal sem capacete. Aquele “capacete” de isopor que você citou acima (isso pode até ser verdade para modelos que custam R$ 20,00 e não passam disso mesmo, mas não pode ser generalizado para todos os capacetes), salvou a vida de diversos amigos meus e infelizmente por falta de uso, provavelmente condenou uma amiga minha a menos de um ano em um acidente estúpido a menos de 15 km/h. Eu já dividi dois capacetes ao meio em tombos e minha cabeça ficou inteira. O capacete funciona sim.

    Andar de bicicleta, assim como andar a pé, subir e descer escadas, cortar um pão ou mexer na rede elétrica de casa, oferece riscos. Mas existe um agravante que não pode ser ignorado. A maioria das pessoas que usa a bicicleta para a mobilidade pessoal ou lazer nas cidades, geralmente utiliza ela no transito, compartilhando vias publicas com carros, motos, caminhões e ônibus, o que aumenta exponencialmente o risco envolvido e não permite ao ciclista controlar todas as variáveis a sua volta. O capacete não vai garantir que o ciclista sobreviva a um atropelamento ou a uma queda, mas vai sim aumentar tremendamente as suas chances de que em caso de impactos diretos na cabeça, ele tenha chance de uma boa recuperação e que volte a andar de bicicleta e levar uma vida normal.

    Atletas usam o capacete, porque geralmente são ciclistas mais avançados em termos de técnica e cultura de bicicleta e entendem que estão correndo riscos ou já tomaram tombos que os deixaram assustados o suficiente para entender que cair acima de 30 km/h de bicicleta é algo muito sério. Não entendo a ligação entre o capacete e seu uso apenas por atletas. Quem anda de moto e usa capacete é piloto? Talvez entre o ciclista habitual e o eventual. Mas não ao esporte. Esta ligação é fruto de preconceito também. Brasileiro tem uma tendência a achar que se você usa equipamentos de segurança, você é bobo, profissional ou não sabe andar de bicicleta. Você nunca é visto como cauteloso, prudente, etc…

    Deixando claro: concordo que o uso do capacete deve sim ser uma opção pessoal. Não acredito na imposição como forma de promover o uso e acho que isso prejudicaria o futuro da bicicleta no país. Mas promover a bicicleta e não aproveitar a chance de promover o uso capacete como um habito saudável e recomendável, é uma tremenda perda de oportunidade e na minha opinião, algo irresponsável.

    • Andre diz:

      Perfeita sua colocação, não entendo porque tentam desestimular o uso do capacete.

      Eu mesmo fui atropelado por uma moto e fui jogado de costas uns três metros aonde bati com a parte de trás da cabeça e ainda arrestei aproximadamente um metro. Senti um forte impacto neste momento e a primeira coisa que pensei foi “ainda bem que estava de capacete”.

      Eu tenho certeza que teria grandes chances de ter tido uma fratura craniana não tivesse usando o capacete, e mesmo que não tivesse chegado à esse extremo, teria tido sérias escoriações e provavelmente perderia parte do couro cabeludo na parte de trás da cabeça pois como falei arrastei aproximadamente um metro no asfalto.

      Acho que pode até ser uma opção pessoal, mas também acho uma irresponsabilidade esta discussão tentando desmerecer e desestimular o uso do capacete, pois apesar de não ser milagroso, pode sim fazer a diferença em caso de acidente.

      Um conhecido não estava usando o capacete por preguiça pq o capacete estava no carro e ele não quis pegar, além do que seria “apenas uma voltinha”. Moral da história, levou um tombo besta e está com a cabeça toda machucada a toa e totalmente arrependido de não estar usando o capacete.

      Usar capacete (decente) pode sim salvar uma vida ou pelo menos diminuir muito os ferimentos de alguém, não querem usar tudo bem, mas não sejam irresponsáveis em dizer o contrário.

  32. Entre bater a cabeça sem nada e bater a cabeça com o capacete de ciclista, prefiro a segunda opção. Que fique livre ao ciclista escolher. Só quem já tomou uns tombos em que o capacete ajudou a diminuir os danos pode sentir a diferença.
    Ando muito em trilhas e single-tracks, cair e bater em árvore faz parte… eu uso capacete, óculos e luvas na trilha e na cidade.

    Abraços!
    fb.com/EvandroBiker

  33. conrado abrantes diz:

    é importante sim…qualquer proteção ainda que não seja suficiente é importante,fui ciclista federado e ja sofri diversos acidentes,na trilha e na cidade,aonde o capacete me protegeu e em um especificamente salvou minha vida,de certo que era um equipamento diferenciado e não os que vendem aí a preço de banana e feitos só pra constar.

  34. isso vai dar diversionismo (que é o termo em marxês para “falsa polêmica”.

    na Idade Média se chamava de “querela bizantina” ou “discutir o sexo dos anjos”).

  35. Eduardo diz:

    O nosso organismo evoluiu ao longo de milhares de anos criando uma caixa toráxica para proteger o nosso cérebro. O natural é que, em condições aonde um impacto possa causar dano nele, que de alguma forma a gente de um reforço nesta proteção. Simples assim.

    É como diz o ditado: é preferível ler asneiras como esta do que ser cego.

  36. sem dúvida! Usar capacete AUMENTA a chance de tetraplegia, já que aumenta a chance de torsão cervical. (bem ao contrário do que seu intuitivismo sub-epidemiológico te faz crer…)

  37. zelobo diz:

    Aos amantes do capacete que aqui expressaram suas opiniões pessoais.
    Indico dois links da European Cyclists Federation -- ECF, sobre o assunto:
    http://www.ecf.com/wp-content/uploads/2011/11/Cycle-helmets.pdf
    http://www.ecf.com/advocary/road-safety/helmets-and-reflective-vests/

    • Zé, acho que falta no texto oficial, uma explicação do “porque” das observações, incluindo principalmente estes dados da ECF.

      E também discordo com o “Ficam proibidos” no título. Acho que o ideal seria “Fica sugerido a não utilização de capacetes para ciclistas em peças publicitárias”

      Abs

    • bruno diz:

      logo, quanto mais capacetes menos ciclistas?
      quanto menos ciclistas, mais acidentes?

  38. engano: isso vai dar em diversionismo (que é o termo marxês para falsa-polêmica.

    Em filosofia medieval se chamava de “querela bizantina” e “discutir o sexo dos anjos”. São Tomás de Aquino, avô da ciência, fugia delas como satanás da cruz…)

  39. Gilson Wingist diz:

    Uso a bicicleta diariamente, e o uso do capacete me salvou recentemente de um acidente no qual saí apenas com um braço quebrado, em uma situação tranquila de trânsito. Sinceramente, este texto é a maior imbecilidade que já tive oportunidade de ler. É como dizer, não use camisinha, pois associa sexo á algo perigoso.

    Baseado em quais dados, pesquisas e testes este texto foi escrito? Ou é baseado no “achismo” de um “ciclochato” que quer se promover causando polêmica.

    Como ciclista, e como cidadão, tenho vergonha de um texto destes dizer que representa a “a maioria dos ciclistas brasileiros”.

    Onde está a pesquisa feita “pelo mundo afora” ? Posta o link para podermos avaliar.

    E onde estão os testes que demonstram que a espuma de poliestireno expandido ( que nosso grande e ilustre autor do texto chama vulgarmente de isopor) e a forma como os capacetes são produzidos não reduz o risco de lesões ?

    Sinceramente João Lacerda, compre uma bicicleta de uma roda só e pedale sem capacete. Mas pedale no circo, onde é lugar de palhaços como você.

  40. isso vai dar diversionismo (que é o termo em marxês para “falsa polêmica”.

    na Idade Média se chamava de “querela bizantina” ou “discutir o sexo dos anjos”).

  41. putz, meus comentarios não estão saindo em resposta aos comentários que eles comentam.

    que uó!

  42. zelobo diz:

    Repetindo:
    Aos amantes do capacete que aqui expressaram suas opiniões pessoais.
    Indico dois links da European Cyclists Federation -- ECF, sobre o assunto:
    http://www.ecf.com/wp-content/uploads/2011/11/Cycle-helmets.pdf
    http://www.ecf.com/advocary/road-safety/helmets-and-reflective-vests/

  43. Vitor Barroso diz:

    Concordo plenamente com o autor deste trabalho. Muitos, ou quase todos os comentadores que defendem o uso do capacete no dia a dia, em trabalho ou lazer, não andam de bicicleta ou então pensam pela cabeça dos publicitários e fabricantes de capacetes. O uso do capacete deve ser opcional e não obrigatório: usa quem quer! Nem se pode criticar quem usa como quem não usa. Deve ser uma opção individual. Vejam o exemplo do povo mais ciclista do mundo em que essa opção é voluntária.Se fosse assim tão perigoso andar de bicicleta há muito que a lei da obrigatoriedade do uso de capacete
    tinha sido publicada…

    • Zerbergo diz:

      “(…) Muitos, ou quase todos os comentadores que defendem o uso do capacete no dia a dia, em trabalho ou lazer, não andam de bicicleta” ….?????????? Que afirmação infundada… Ridícula até. Eu tenho um capacete de 13 anos atras e outros 2 mais recentes ( todos cheios de adesivos de eventos e campanhas sobre bikes durantes os anos q pedalo)…….E se os novos ciclistas q adentram no movimento usa, eles estão corretos. SEGURANÇA VEM ANTES da PREPOTÊNCIA. ( ñ preciso usar pq sei andar de Bike e os carros devem nos respeitar!)

  44. Zerbergo diz:

    APOIO FORTEMENTE O USO DO CAPACETE. SE EXISTE 1% DE CHANCE DE EVITAR DANOS MAIORES USANDO CAPACETE, PORQUE EVITAR?

    RIDÍCULA a Tese semiotica que sugere que aos ñ ciclistas q o uso do capacete é sinal que bike é perigosa!!! Neste sentido a semiótica pode ilustrar tb que usar capacete é segurança. É Precaução.

    Comparar o uso deste equipamento na Europa com o uso deste no Brasil (ou Asia) é dizer algo como “Soluções Européias em Condições Africanas” o que é de uma inocência polyanesca.

    Pessoalmente Já vi pelo menos 3 tombos ( A última na semana passada) em que o ciclista estava de capacete e simplesmente Rachou o casco e manteve a cabeça integra.

    Esta discussão é um diversionismo adolescente.

  45. tô esperando a hora de vir um e comparar capacete com camisinha.

    só que o uso universal da camisinha (e as campanhas de “Use Camisinha!”) são altamente questionáveis e ineficientes elas mesmas…

    por que? Porque nem todo sexo é penetrativo, a maioria não é. (e sobre o capacete poder-se-ia dizer o mesmo: a maior parte das viagems são Dona Cotinha indo comprar pão, cheia de bob, mise-en-plies, e lenço na cabeça).

    É preciso uma visada mais epidemiologica, menos intuitivoide; mas também uma visada que, sendo epidemiologica, seja crítica, leve em conta o binômio moderno Medo-Esperança (e sua atualização moderna, Desespero-Segurança) como formas opressivas de bioboder, não ignore os teoricos da anti-medicina (um dos quais é fundamental também nos movimentos anti-carro: Ivan Ilich)

  46. Leandro Rodrigues diz:

    Vou deixar o meu ponto de vista. Sou um ciclista que usa o capacete, mas também não uso em todos os lugares. Eu uso o capacete quando estou no meio de um single track que posso cair e me machucar, eu uso o capacete quando estou no meio do trânsito caótico do Rio de Janeiro(Mas eu sei que ser for atropelado não vai me salvar, pois o impacto do carro vai me ferrar muito mais), mas num local tranquilo quando estou passeando eu não uso o capacete. E antes que outros falem, sim o capacete já evitou algumas vezes que ralasse ou machucasse a cabeça, mas em todos os momentos eu estava conduzindo a bicicleta em locais que é necessário o uso de equipamentos de segurança ou habilidades que a maioria dos ciclistas urbanos não necessitam possuir. Os meus piores machucados de bike não foram ocasionados pela falta de capacete e sim porque na época eu não possuía o conhecimento ou habilidade necessária para conduzir a bicicleta com segurança. Capacete pode até salvar vidas, mas a falta de conhecimento, capacitação e educação no trânsito não tem capacete que salve.

  47. Rafael Oliveira diz:

    Não concordo com o ponto de vista! O ciclista precisa de proteções minimas para garantir sua integridade física. Em muitos país o ciclista urbano é obrigado a utilizar não só o capacete como também as luzes de sinalização para garantir transito livre e seguro em meio ao transito de veículos auto-motores. Como sabemos o transito de veículos auto-motores não é muito amistoso no Brasil! Conscientização e prevenção é tudo para a criação de uma cultura de ciclismo urbano adequada e segura…

  48. Absurdo!!! O capacete já salvou a minha vida duas vezes. Uma quando fui atropelado e bati com ele (e não a cabeça) na coluna do carro; ele ficou destruído e a minha cabeça intacta. Outra vez foi num tombo em que embolei com a bike e a coroa dela deixou as marcas na parte traseira do capacete, se estivesse sem capacete, ela teria cravado na minha nuca. Essa campanha é no mínimo irresponsável!!!!

Deixe uma resposta