As melhores iniciativas em prol da Bicicleta

IMG_7024

Saiu o resultado do “III Prêmio – A Promoção da Mobilidade por Bicicleta no Brasil“. Foram ao todo 37 inscrições nas três categorias. Destaque absoluto foi a bela disputa entre os empreendimentos, foi tão concorrido que acabaram sendo dadas três menções honrosas ao invés das esperadas duas. Já as outras duas categorias tiveram resultados quase de consenso entre a comissão julgadora.

Ação Educativa e Conscientização

Vencedor           Ciclocidade – Bicicleta Faz Bem ao Comércio –  São Paulo

Menção Honrosa          Rodas da Paz – Caminhos da Cidade –  Brasília

Levantamento de Dados e Pesquisas

Vencedor         Ciclo Urbano – Pesquisa Origem Destino –  Aracaju

Menção Honrosa        Cidade Ativa – Painéis interativos para a Paulista Aberta – São Paulo

Empreendimentos

Vencedor          Úrbici Café – Fortaleza

Menção Honrosa          Bike Rio Café –  Rio de Janeiro

Menção Honrosa          Compartibike –  São Paulo

Menção Honrosa          Biciponto – Porto Alegre

As melhores iniciativas na promoção ao uso da bicicleta

Vale colocar um pouco mais sobre as iniciativas, na palavra dos responsáveis. Primeiro “Ação Educativa e Conscientização“. Dividida em três fases e ainda está em execução:

A campanha “Bicicleta faz bem ao Comércio” foi lançada ao final do mês da mobilidade (30/9) de 2015, com o objetivo de sensibilizar comerciantes ainda resistentes com a presença cada vez maior de ciclistas em São Paulo.

Também ainda ativo, o projeto “Caminhos da Cidade – Atividades interdisciplinares sobre mobilidade urbana“, recebeu a menção honrosa com um material que:

pretende proporcionar atividades em uma linguagem mais lúdica para trabalhar o tema bicicleta no universo escolar. A proposta é promover uma reflexão sobre mobilidade sustentável, incentivando a criatividade e a sensibilidade ambiental e social de estudantes da nona série do ensino fundamental e do primeiro ano do ensino médio.

Levantamento de Dados e Pesquisas” é a categoria fundamental para que mobilidade em bicicleta seja feita menos com base em achismos e paixões e mais centrada nos impactos positivos que mais bicicletas nas ruas trazem.

Realizada entre 2014 e 2015, a “Pesquisa Origem e Destino das viagens de bicicleta no município de Aracaju” é a primeira do gênero no país e abrangeu todos os bairros da capital sergipana.

Como resultado, foram produzidos dados inéditos de “grande utilidade para a elaboração de politicas públicas municipais relacionadas à bicicleta.”

Os “Painéis interativos para a Paulista Aberta” foi a consolidação de uma metodologia desenvolvida pela Cidade Ativa em diversos projetos e pesquisas.

A pesquisa forneceu dados para fortalecer os argumentos do Movimento Paulista Aberta, junto com outros levantamentos realizados por outras organizações envolvidas na causa, e foram apresentados à Prefeitura e apontados na Audiência Pública que debateu a abertura da avenida.

Quem tiver interesse, pode conferir o relatório completo da pesquisa sobre a Paulista Aberta.

Dentre os “Empreendimentos“, surgiu muita coisa boa que mostram que há uma nova economia ao redor da bicicleta. Paixão e sustento tem pedalado juntos.

Grande vencedor da mais disputada categoria:

O Úrbici Café é uma cafeteria de rua e, inspirado no papel que a bicicleta desempenha no cenário urbano, nasceu consciente de que empresas devem exercer papel social fundamental para o bem estar coletivo, dessa forma trabalhamos de maneira responsável sempre fomentando o uso da bicicleta como ferramenta para melhorar a cidade e promovemos outras ações que incentivam boa convivência entre os indivíduos e estimulam novas formas de pensar sobre problemas do cotidiano.

Café e bicicleta é uma história que tem andado junto, mas a força do Úrbici está justamente em trazer para a praça algo que em geral funciona dentro de espaços tradicionais de comércio. Os jurados reconheceram portanto a importância de ser leve e simples como a bicicleta.

Reconhecida por uma menção honrosa, outra iniciativa similar, visou atender a uma demanda dos ciclistas cariocas e acolher necessidades.

O Bike Rio Café é uma bicicletaria, um espaço multifuncional, que promove e incentiva a utilização e da bicicleta como mobilidade urbana. Oferece estacionamento, vestiários com chuveiros, espaço bistrô/café para lanches e refeições e loja especializada com oficina.

Nascida da iniciativa de jovens estudantes da USP:

A Compartibike é uma empresa especializada em soluções inovadoras de mobilidade urbana, tendo como principal área de atuação o planejamento, implantação e operação logística de sistemas de bicicletas compartilhadas.

O reconhecimento veio brindar o crescimento da iniciativa que de 2009 até hoje saiu de uma premiação de empreendedorismo e hoje está presente em mais de 10 cidades brasileiras e viu seu faturamento crescer 10 vezes em 2015 na comparação com o ano anterior. Aceleração na velocidade dos pedais.

A última menção honrosa coube ao Biciponto projeto que facilita a vida de quem pedala integrando a bicicleta no comércio local que de outra forma não estaria totalmente apto a atender as necessidades de quem usa a bicicleta.

Diante de uma emergência como um pneu furado, o ciclista acessa a plataforma on line com sistema de geolocalização e encontra o biciponto e a bicicletaria mais próximos.

(…)

Essa rede gera autonomia para o ciclista e ao mesmo tempo cria novas conexões entre os usuários desse modal, o comercio local e o comércio especializado, disseminando o senso de comunidade e enriquecendo as relações interpessoais.

Todas as iniciativas estarão presentes no “IV Workshop – A Promoção da Mobilidade por Bicicleta no Brasil

Os critérios de avaliação

Votaram para escolher os melhores um “grupo de notáveis” composto por 15 pessoas próximas à Transporte Ativo. Todos deveriam ter em mente os seguintes parâmetros na hora de avaliar os trabalhos:

· Comprometimento e Alcance dos Resultados

· Inovação e Desenvolvimento

· Combinação de diferentes estratégias

· Variedade de Resultados

· Praticidade e Replicabilidade

Além disso, não havia obrigação de indicar um vencedor ou menção honrosa. A comissão julgadora estava livre para premiar uma iniciativa e até 2 menções por categoria, ou votar em branco caso julgassem que nenhuma inscrição merecia ser o prêmio principal ou ser mencionada.

Cada projeto escolhido como vencedor por um dos jurados recebeu 3 pontos, cada menção honrosa recebeu 1 ponto.

Para manter um padrão de qualidade nas premiações, decidimos que para receber uma menção honrosa deve-se ter pelo menos metade dos pontos do vencedor da categoria.

Pelos critérios apontados, duas categorias tiveram apenas uma menção honrosa, porém na categoria “Empreendimentos” três projetos tiveram mais de metade dos pontos do vencedor, julgamos então justo que também recebesse o devido reconhecimento.

Tags , , , , .Adicionar aos favoritos link permanente.

Deixe uma resposta