Connected Smart Cities – Cidades do Futuro

SCTA

O Connected Smart Cities é um evento anual que ocorre desde 2015 e que tem como finalidade explorar o conceito de cidades inteligentes e conectadas em um encontro unindo representantes do poder público de diversas esferas, técnicos, empresas de tecnologia de ponta, especialistas de diversas áreas, além de pessoas e entidades engajadas com a otimização das cidades do Brasil, inspirados em soluções já executadas em cidades de todo o mundo.

Dentre as áreas abordadas no evento, tendo a tecnologia e a inovação como ponto central, estão o urbanismo e a sustentabilidade em primeiro lugar, mobilidade urbana e acessibilidade, conectividade (big data, redes inteligentes, etc.), empreendedorismo e resiliência.

No campo da mobilidade urbana, o evento busca explorar e dissecar as soluções relacionadas às políticas públicas de integração dos meios de transporte, transporte público, pedestres, infraestrutura cicloviária, gestão de tráfego e toda forma de mobilidade urbana como serviço serviço da cidade.

Nesta edição de 2017, além de contar com painéis e workshops com a participação de nomes relevantes da indústria de tecnologia, da academia e de governos, é responsável pela criação de um ranking que avalia as cidades brasileiras, indicando quais as que mais aplicam as melhores soluções em sustentabilidade, mobilidade urbana e políticas públicas inteligentes e inclusivas voltadas para as pessoas e também pela premiação das cidades mais bem colocadas.

Tendo a bicicleta um papel fundamental nas cidades inteligentes, por sua aplicação múltipla em soluções relacionadas à mobilidade urbana como meio ambiente, saúde, economia e integração social, certamente a bicicleta não poderia ter ficado de fora, e foram discutidas políticas públicas e soluções tecnológicas já aplicadas e que vêm sendo replicadas dentro e fora do Brasil.

A Transporte Ativo esteve presente em um painel juntamente com Tomas Martins, CEO da TemBici, apresentando o conceito de bicicletas compartilhadas e sistemas de bicicletas públicas e suas diversas aplicações e impactos nas cidades, discutindo experiências de outras cidades do mundo e o futuro desses sistemas.

Trazer a bicicleta para um público que é constituído por agentes que estão na linha de frente do que é pensado e aplicado efetivamente para as cidades, tanto através da indústria e do mercado, quanto do governo, é fundamental para que tenhamos garantido o lugar da bicicleta nas cidades inteligentes e conectadas do futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *