Prêmio Promovendo a Mobilidade por Bicicleta no Brasil | Resultados

#P2

Em sua nona edição, o prêmio “Promovendo a Mobilidade por Bicicleta” novamente selecionou as melhores iniciativas brasileiras em prol das bicicletas. Boas ideias merecem e precisam ser reconhecidas e homenageadas.

Conheça os vencedores:

Vencedora Categoria Ação Educativa e de Sensibilização:

Biciconexão
Pedala Manaus – Manaus – AM

#AE1b
Em plena pandemia do COVID 19, o movimento Pedala Manaus iniciou mais uma ação de promoção ao incentivo e uso da bicicleta na cidade de Manaus, chamada Biciconexão.
O aumento do número de pessoas desempregadas, a alta do consumo das famílias através de delivery que fez aumentar o número de pessoas fazendo entrega de bicicletas, o desaconselhamento das autoridades de saúde quanto ao uso do transporte coletivo e a crise econômica, fizeram surgir a necessidade das pessoas pensarem na bicicleta como alternativa de transporte e ferramenta de trabalho.
Conectados a esta realidade, o Pedala Manaus fez e faz a ponte entre quem tem uma bicicleta e não a usa com quem está precisando de uma para deslocamento ou trabalho. A divulgação para doação e a eleição da pessoa que necessita da bicicleta é feita integralmente de forma gratuita através das redes sociais. Uma vez recebida a doação, o movimento providencia a manutenção completa da bicicleta e leva até a pessoa que dela está precisando, também de forma gratuita. Essa conexão de pessoas têm tido reflexo imediato, uma vez que desenvolve o senso de solidariedade, motivando os doadores a pensar de forma mais colaborativa, além de auxiliar quem recebe, que passa a ter um meio de transporte e de auxílio na renda familiar.
Instagram.com/pedalamanaus

.

Menções Honrosas Categoria Ação Educativa e de Sensibilização:
Comunidades Escolares que Pedalam
Ciclocidade – São Paulo  – SP

#AE2
Por meio de ações articuladas junto a quatro escolas públicas (duas municipais e duas estaduais) próximas às estações Grajaú e Primavera Interlagos da CPTM (zona sul de São Paulo), o projeto Comunidades Escolares que Pedalam levou a discussão sobre mobilidade urbana e a prática da bicicleta para dentro do ambiente escolar. Mobilidade urbana e direito à cidade são temas que afetam diretamente a vida de todos, com amplas possibilidades de conexão tanto com assuntos curriculares de diversas disciplinas quanto com as experiências pessoais de alunos e professores. A bicicleta oferece enorme potencial como ferramenta didática, podendo ser um instrumento para se colocar em prática diversos aspectos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Mesmo diante das contingências impostas pela pandemia no funcionamento das escolas, foi possível envolver diretamente mais de quinhentas pessoas.
Vídeo sobre o projeto clicando aqui.

.

Vermelhinhas” – As Bicicletas Compartilhadas Tarifa Zero
Autarquia Empresa Pública de Transportes – Maricá – RJ

#AE3
O Projeto “Bike Vermelhinha” se iniciou em Março de 2021 e o resultado foi além das expectativas!!!! Chegou para incentivar o uso do transporte sustentável, proporcionar lazer a todas as pessoas e contribuir com a mobilidade urbana ativa de Maricá. O sucesso do projeto Tarifa Zero é aparente, tem a cada dia incentivado mais pessoas, sejam elas de Maricá ou turistas, e é um grande motivo de orgulho para todos!
www.eptmarica.rj.gov.br

.

Vencedor Categoria Levantamento de Dados e Pesquisas:
Por que gostamos de andar de bicicleta?
Laboratório de Neurobiologia e Ritmicidade Biológica-UFRN  – NATAL – RN

#LD1
Este projeto originou a partir das evidências do uso da bicicleta como um instrumento terapêutico para os pacientes com Doença de Parkinson. Estamos também estudando os processos funcionais ao longo do aprendizado do andar de bicicleta. Os nossos resultados estão contribuindo com o desenvolvimento de novas estratégias de uso da bicicleta como um instrumento mais eficiente no tratamento da redução dos sintomas motores e não motores dos pacientes com Parkinson bem como subsídios para o fortalecimento da mobilidade ativa por bicicleta.
Saiba mais clicando aqui.

.

Menções Honrosas Categoria Levantamento de Dados e Pesquisas:
Índice de avaliação da qualidade de infraestruturas cicloviárias (QualICiclo)
Diogo Gomes Pereira Batista – João Pessoa – PB

#LD2
O Índice de avaliação da qualidade de infraestruturas cicloviárias ou QualiCiclo foi desenvolvido com o objetivo de avaliar as condições de acessibilidade cicloviária de espaços dedicados ao ciclista, como ciclovias e ciclofaixas. O método possui uma série de indicadores e critérios de análise sobre a cicloestrutura, a sinalização, o ambiente e a segurança, contribuindo com a geração de dados para mapeamento e diagnósticos do transporte por bicicleta. Assim, reflete-se a importância da pesquisa através de um instrumento prático de auxílio ao planejamento cicloviário, como forma de melhorar as condições de uso da bicicleta no contexto brasileiro.
Saiba mais clicando aqui.

.

Texto para discussão – Melhores práticas em bicicletários – São Paulo
Ciclocidade – São Paulo  – SP

#LD3
O Texto para discussão – Melhores práticas em bicicletários – São Paulo é de uma extensa pesquisa voltada para entender as melhores práticas em bicicletários associados a estações/terminais de transporte público em São Paulo, levantando aspectos legais, entrevistas com operadores sobre desafios e histórico de implantação, levantamento de locais que têm ou precisam ter este tipo de equipamento e dados históricos de uso do sistema. A partir do estudo, a licitação para a concessão dos terminais de ônibus urbanos da capital paulista, um edital de porte de R$ 6 bilhões, foi alterada para estabelecer um cronograma de adequação das áreas de estacionamento existentes sem zeladoria para que se tornassem bicicletários com zeladoria, bem como ampliar alguns existentes, garantindo seu uso gratuito pela população pelos próximos 30 anos.
Acesse a publicação clicando aqui.

.

Vencedor Categoria Empreendedorismo:
Rolé no Coração do Recife
La Ursa Tours – Recife – PE

#Emp1
O nosso roteiro audioguiado Rolé No Coração do Recife, nasceu como uma provocação no meio do cenário pandêmico que passamos. A ideia era que as pessoas não deixassem de pedalar como uma forma de relaxar e conhecer mais a cidade onde vivem. Serve tanto para as pessoas recifenses como também para quem vem de fora e quer conhecer a nossa região central, tão cheia de vida, cultura e gastronomia singulares.
Agradecemos imensamente a todas e todos que apostaram e nos ajudaram nessa pedalada!
laursatours.com

.

Menções Honrosas Categoria Empreendedorismo:
PIOLA bolsas cariocas
PIOLA – Rio de Janeiro – RJ

#Emp2B
Somos uma marca carioca de bolsas e acessórios para ciclismo, desenvolvidos e costurados por mulheres no Rio de Janeiro. Pensamos os produtos como parte de um ciclo: conceito, matéria prima, produção e distribuição, uso, conserto… Queremos melhorar a qualidade de vida dos usuários mas também de todos os envolvidos, desde quem produz o tecido até quem transporta as bolsas dos ateliês até o estúdio. Priorizamos o uso de matéria prima nacional, trabalhamos respeitando os princípios do comércio justo, e temos uma política de lixo zero. Nossas bolsas e acessórios, desenvolvidas por nós mesmas na nossa oficina carioca, são resistentes, impermeáveis, funcionais, leves e bem coloridas.
olapiola.com.br

.

Bicicleta de Bambú
Velobambu – Rio de Janeiro – RJ

#Emp3b

A Velobambu, que teve seu berço no meio da pandemia de Covid, nasceu como um empreendimento de produção e desing de quadros de bicicletas de bambu. Sendo composta por dois amigos e ciclistas urbanos que somados tem mais de 30 anos de experiência sobre a bicicleta. Buscamos ser, não somente uma referência nesse mercado, mas também uma empresa que fomente, apoie e incentive a mobilidade urbana através do uso da bicicleta como meio de vida. Estamos desenvolvendo outros produtos feitos de bambu como, guidão, bagageiro, paralamas, perna-de-pau e banco de monociclo, entre outras ideias que forem surgindo durante a jornada. A Velobambu nasceu com a junção do que julgamos fundamental para uma cidade mais justa e equilibrada: respeito, direito à cidade, consciência ambiental. Fica aqui esse convite aberto a conhecer nossos produtos e propósito.
Instagram.com/velobambu.

Nesta edição foram 44 inscrições nas 3 categorias, ficando atrás apenas da VII edição em  2020, mais uma vez, com destaque para a categoria Ação Educativa e de Sensibilização que teve recorde de inscrições, equivalentes a 64% dos inscritos. Destaque para as regiões sudeste que enviou 48% e Nordeste  25% das inscrições. Abaixo alguns dados sobre as inscrições.

#ab

Agradecemos pelo envio dos projetos e parabenizamos pelas iniciativas. Esse ano a disputa foi bastante acirrada nas categorias Ação Educativa e Empreendedorismo, onde a diferença entre prêmio e menção honrosa foi de apenas um ponto!

Agradecemos também ao comitê de avaliação e ao Itaú Unibanco, que torna possível a realização do Prêmio Promovendo a Mobilidade por Bicicleta no Brasil.
Aproveitamos a oportunidade para anunciar a inclusão da categoria Políticas Públicas, no próximo ano. 🙂

Para saber mais sobre o Prêmio e suas edições e premiações anteriores, clique aqui.

3º Encontro Bicicletas e Meio Ambiente | Bicicletas, Políticas Públicas e Meio Ambiente

EBMA4

A ideia de que o que é público não tem dono não poderia ser mais equivocada. A Rua não tem um dono, mas é de todos. O espaço mais democrático e de maior convivência das cidades precisa de atenção constante e de reformas e atualizações na forma como ela é projetada, construída, reformada e usada.
Uma das melhores formas de se fazer essa evolução começar e ser concluída no tempo adequado é através de políticas públicas. Estas são ações e programas que são desenvolvidos pelo Estado para garantir e colocar em prática direitos que são previstos na Constituição Federal e em outras leis. São medidas e programas criados pelos governos dedicados a garantir o bem estar da população. (Fonte: Stephanie Macêdo – Rede Alese)
O aspecto mobilidade é apenas um dos que podem melhorar nos espaços urbanos através de boas políticas públicas. O atual modelo de mobilidade, baseado no transporte motorizado não consegue mais atender às necessidades de movimentação de pessoas com segurança, qualidade, baixo custo e impacto ambiental. É preciso repensar, reprojetar, vencer desafios modernos para promover a sustentabilidade nas ruas, nos transportes e na mobilidade urbana.

Já a alguns anos que Niterói tem investido em redesenhar sua organização espacial em busca de alcançar o século XXI na mobilidade e muito do que vem sendo proposto e implantado vem do Programa Niterói de Bicicleta. Filipe Simões, arquiteto, urbanista (e ciclista, claro) é o atual coordenador do Programa e esteve no último sábado na Toca, no Rio de Janeiro para debater com mais 23 cidadãos cariocas e fluminenses como tornar nossas cidades mais humanas através da promoção ao uso da bicicleta e como nossa qualidade de vida e o meio ambiente podem melhorar com os impactos positivos de Niterói ter mais bicicletas nas ruas.

Ouvindo seus relatos pudemos entender que o desafio é imenso, mas que é preciso estar presente na administração pública para debater, propor e ir de encontro a essa cultura motorizada ultrapassada, que ainda não enxerga a mobilidade ativa como relevante e digna de investimentos para que as pessoas circulem melhor pela cidade. Há resistência em cada esquina, mas há conquistas sólidas e inquestionáveis que reforçam a certeza de que cidades como Niterói e Fortaleza seguem a rua certa para garantir o crescimento no uso da bicicleta como meio de transporte, esporte, lazer ou negócio.

Em breve, novos Encontros sobre Bicicletas e Meio Ambiente serão marcados, sempre com apoio do Itaú Unibanco. Fique atento para comparecer, conversar, trocar ideias e nos ajudar a tornar nossas cidades mais cicláveis, mais humanas e ambientalmente equilibradas.

Pedalada Entre Museus Acessíveis – Agosto

EMA43

Na véspera do Dia do Voluntariado reunimos uma equipe de 13 ciclistas que não são os mais fortes, mais rápidos ou mais habilidosos, mas que dedicaram 110% de seu altruísmo para conduzir, acompanhar, suportar e empoderar jovens surdos de uma escola de Duque de Caxias, no Pedal Entre Museus Acessíveis. As equipes do Educativo do Museu do Amanhã e da TA tiveram mais uma vez o privilégio de receber 19 pessoas, entre surdos e ouvintes para a 4ª manhã de pedal, história, superação e inspiração. Muito se engana quem pensa que o voluntário está em uma via de mão única, doando seu tempo e ajudando alguém. Neste sábado pudemos perceber claramente que é uma via de mão dupla.

ema45

Por exemplo: o que fazer diante de alguém com medo de pedalar? Para uma pessoa plena o desafio pode ser grande, mas imagine se for um jovem surdo e com um leve problema motor? Um baita desafio, talvez impossível. Será que ele conseguiria? E o voluntário que o conduziria na tandem? Como conquistar a confiança em tão pouco tempo? Mas todos que já pedalaram sabem que basta ter um pouco de coragem para encarar e vencer o medo. Melhor ainda se um voluntário dedicar carinho e atenção verdadeira nesse processo. Também ajuda que o aspecto lúdico da bicicleta é muito atraente. A liberdade, a endorfina do exercício, a emoção da velocidade gerada pela sua própria força são estimulantes. Em pouco tempo aquele medo deu lugar à alegria de estar em uma bicicleta curtindo muito. Pedalando em um grupo com tantas outras pessoas que comungam do mesmo desejo de aproveitar a vida sobre a bicicleta nos sentimos e ficamos mais fortes, protegidos, menos vulneráveis, menos imperfeitos e, claro, mais felizes.

EMA42

Como de praxe nosso historiador David deu pequenas e valiosas aulas sobre fatos históricos a cada parada, colocando com propriedade como nossa história se desenrolou e nos convidando a refletir sobre o presente e qual futuro desejamos para nossa cidade e para o País. O dia lindo e quente nos presenteou com as belezas do centro, da Baía de Guanabara e do Aterro do Flamengo, muito melhor curtidas numa bicicleta ou caminhada. E assim seguimos levando quem pedala muito ou pouco nesse passeio ciclístico inclusivo que seguirá ocorrendo no último sábado do mês, até novembro. O próximo está programado para o dia 24 de setembro.

EMA44

Obrigado à equipe do Museu do Amanhã e aos voluntários reunidos pela TA. Parabéns pelo Dia do Voluntariado!
Programação e inscrições pela página do Museu do Amanhã clicando neste link.

2º Encontro Bicicletas e Meio Ambiente | Bicicletas e Design Sustentável

ebma24

Do projeto ao descarte final (ou reciclagem), passando pela fabricação, uso e manutenção a bicicleta está entre os melhores objetos já projetados pelo ser humano, levando em conta um design que combina baixo custo, praticidade de uso, durabilidade, entre outras virtudes que a tornam também uma amiga do meio ambiente, para além do uso que é silencioso, limpo e que ocupa pouco espaço.

Neste sábado o convidado do 2º Encontro Bicicletas e Meio Ambiente foi Pedro Zöhrer, professor de Desenho Industrial da UERJ e criador das bicicletas reclinadas Zöhrer. Entusiasta e amigo das bicicletas a décadas, Pedro projeta e constrói bicicletas, especialmente as reclinadas, veículos de alto desempenho que aliam, conforto à velocidade.

ebma23

Na tarde do sábado 30 de julho ele nos convidou a refletir profundamente sobre a sustentabilidade. A conversa foi motivada pela bicicleta, mas extrapolou para todos os aspectos da nossa sociedade que precisa rever com urgência seus conceitos e práticas de produção, consumo e descarte.

ebma22

Desta vez fomos recebidos pela TOCA, espaço de trabalho coletivo de Ciclo Courier, Piola, Circular Som Sistema e VeloBambu, negócios que respiram bicicleta 24 horas por dia. E nesse local especial o debate se estendeu por cerca de duas horas, com quase 30 presentes que compartilharam ideias, percepções e esperanças de que a bicicleta e a sustentabilidade estejam mais presentes em nossas vidas.
Ao final da conversa um sorteio duplo! Pedro Zöhrer levou um modelo em escala reduzida de uma reclinada feita em impressora 3D e a TA ofereceu uma mochila para ciclista feita por Caro Piola.

Agradecemos a todo os presentes, em especial ao amigo Pedro Zöhrer por compartilhar tanto conhecimento e boas ideias. Agradecemos também ao pessoal da TOCA que nos cedeu não só o espaço, mas toda a energia e vibração pró-bicicleta que inspirou a todos.

ebma2

Nesta Série de Encontros sobre Bicicleta e Meio Ambiente, serão seis eventos até novembro, com apoio do Itaú Unibanco.

Nos próximos meses vamos abordar outros aspectos e vertentes da relação da bicicleta com o Meio Ambiente. Fique ligado para saber quais serão os temas, quando e onde eles serão organizados.

Pedalada Entre Museus Acessíveis – Julho

EMA31

A terceira rodada da Pedalada Entre Museus Acessíveis bateu nosso recorde de público. No último sábado de julho, 39 pessoas em 28 bicicletas, triciclos e tandens (bicicletas de 2 lugares) cumpriram o trajeto de cinco quilômetros entre o Museu do Amanhã, na Praça Mauá e o Museu da República, no Catete, zona sul carioca.

EMA32

Com 14 guias, 2 intérpretes de libras, 1 historiador e 2 educadores do Museu do Amanhã nosso grupo pôde compartilhar com pessoas surdas e cegas o prazer da pedalada, pontilhada por pequenas e importantes aulas e reflexões sobre a história do Rio de Janeiro e do Brasil, aproveitando que nesse curto roteiro ainda há registros de passagens importantes de nossa cidade e do País.

EMA34

A chuva da véspera nos deixou apreensivos sobre a presença do nosso público, mas o tempo ficou apenas nublado e nos proporcionou uma manhã agradável para pedalar e ouvir o historiador David. Os guias das tandens fazem a áudio descrição das belas paisagens históricas e naturais ao longo do caminho, mas sem dúvida, o ponto alto é ver e sentir a satisfação de quem normalmente não está tão incluído no esporte, na cultura e no lazer.

EMA33

Agradecemos aos voluntários, intérpretes, educadores do Museu do Amanhã e principalmente aos participantes, que nos deram a oportunidade de refletir sobre limitações e como superá-las.
Sem dúvida vivenciamos mais uma manhã em que a bicicleta foi a catalisadora de uma sociedade mais inclusiva, solidária, humana e justa.

EMA35

Serão mais 4 eventos até novembro, sempre no último sábado do mês, o próximo está programado para o dia 27 de agosto.
Programação e inscrições pela página do Museu do Amanhã clicando neste link.

EMA36