Presença Brasileira na Conferência Anual EuroVelo 2018

Por Juliana DeCastroev

Desde 2015 o Núcleo de Planejamento Estratégico de Transporte e Turismo (PLANETT/UFRJ) elegeu a mobilidade ativa e o turismo sustentável como uma de suas principais frentes de trabalho. E, mais uma vez, a bicicleta se destaca como protagonista nessas áreas por meio do cicloturismo. Dessa maneira, é natural a busca por organizações de referências na disseminação de conhecimento e boas práticas sobre o assunto.

No Brasil a Transporte Ativo (TA) é uma referência há 15 anos na disseminação e produção de conhecimento sobre mobilidade ativa. E, como o PLANETT, acredita que o território nacional oferece uma diversidade regional incrível para a promoção do turismo de bicicleta. Por isso, PLANETT e TA junto com o Programa de Pós-Graduação em Turismo da Universidade Federal Fluminense (PPGTUR – UFF) organizaram o II Encontro para o Desenvolvimento do Cicloturismo em novembro deste ano no Rio de Janeiro.

E a fonte de inspiração para a realização do evento surgiu através do contato com os estudos produzidos sobre experiências bem sucedidas para desenvolver o cicloturismo no cenário internacional, onde se destaca  o trabalho da Federação Europeia de Ciclistas (ECF) que coordena o Projeto EuroVelo para fomentar o cicloturismo na Europa e organiza a Conferência Anual mais importante nessa área.

ev2

Atualmente o EuroVelo conta com uma rede de ciclovias de alta qualidade composta por 17 rotas integradas ao sistema de transporte, que permitem cruzar 42 países na Europa de bicicleta. A Essas rotas são utilizadas não apenas por turistas, mas também por moradores dessas regiões e até 2020 a meta é consolidar uma rede de 70.000 km, subindo para 19 o número total de rotas existentes.

Ao longo da implementação do EuroVelo diversos estudos foram produzidos para avaliar os impactos do projeto. E os resultados obtidos até o momento apontam para um crescimento contínuo na demanda na utilização das rotas e também da diversificação da oferta de produtos e serviços dedicado aos ciclistas. Em números isso representa uma movimentação de 2,3 bilhões de viagens por ano e 44 bilhões de Euros em receitas, superando a movimentação gerada com o turismo de cruzeiro na Europa no último ano.

E para melhor aproveitar as oportunidades existentes nesse cenário, foram criadas as Conferências EuroVelo e de Cicloturismo que são realizadas todos os anos desde 2012 com o objetivo de reunir todos os atores interessados na trocar experiências sobre cicloturismo, destacar as boas práticas e encorajar o desenvolvimento da própria rede EuroVelo. A estratégia para incentivar o engajamento das autoridades locais com o evento é torná-las as anfitriãs da Conferência, criando assim uma conjuntura favorável para que os participantes possam da desfrutar da experiência real de testarem infraestruturas, produtos e serviços voltados para o turista de bicicleta durante os dias do evento.

Durante os preparativos para a realização do II Encontro o Desenvolvimento do Cicloturismo, surgiu o convite da TA para que o PLANETT pudesse participar da Conferência Anual do EuroVelo 2018 com a intenção de extrair o máximo de conhecimento técnico sobre o desenvolvimento do cicloturismo na Europa. A conferência foi realizada entre os dias 26-28 de setembro em Limburg, na Bégica, ainda conseguimos liberação da ECF para participar como convidado especial da Reunião Anual dos Centros de Coordenação Regional do EuroVelo para compreender como se dá o processo de gestão e monitoramentos das 17 rotas e quais são as possibilidades de adaptação desse modelo para o desenvolvimento do cicloturismo no Brasil.

O foco da reunião era começar a desenhar a estratégia para dar continuidade ao desenvolvimento da rede EuroVelo até 2030, em especial, em relação à necessidade de melhorias enfrentar os desafios para o monitoramento do desempenho das rotas, padronização e manutenção da sinalização, a conectividade com os sistemas de transportes públicos, integração de soluções de TI para desenvolvimento de novos produtos e serviços para rede EuroVelo.

ev3

E, de fato, participar da Conferência foi impactante. Tanto pela qualidade da troca de experiências proporcionadas pela conferência, que certamente nos ajuda a construir a visão do que pode vir a ser o nosso “BrasilVelo”, mas também pela oportunidade de vivenciar momentos únicos, testando alguns dos produtos e serviços oferecidos em aos cicloturistas em Limburg.

Este ano foi a Conferência for realizada na cidade de Hasselt, capital de Limburg, premiada como a capital do cicloturismo após o desenvolvimento do projeto Experience XL e, certamente um dos pontos altos do evento, foi incluir na programação do evento 5 opções de biketours para que os participantes pudessem conferir se a cidade faz jus ao título.

Dentro do Projeto Experience XL foi inaugurada em abril de 2016 uma trilha de ciclismo em um lago da reserva natural De Wijers em Bokrijk-Genk  denominada “Cycling through Water”. Desde a sua abertura já atraiu mais de 500.000 ciclistas, abrindo novas oportunidades para a criação de novos modelos de negócio pensados para fortalecer o desenvolvimento regional aliado à conservação ambiental.

A trilha de bicicleta através da água leva os ciclistas através de um caminho de concreto de 212 metros de comprimento e três metros de largura com água ao nível dos olhos em ambos os lados. Cisnes e outras aves aquáticas flutuam na borda e observam os visitantes com curiosidade. No entanto, você poderia pensar como eu, se a construção da infraestrutura não poderia causar um impacto negativo no ecossistema, certo?! Mas, através de um trabalho integrado entre as autoridades locais de turismo e meio ambiente, o projeto permitiu gerou resultados positivos na melhoria na qualidade da água e também no incremento significativo no habitat dos anfíbios que vivem no local.

Certamente, mais uma valiosa oportunidade de aprendizado para nós, pois o sucesso alcançado com a rota cênica “Cycling Trhough Water” é decorrente do trabalho de longo prazo que vem sendo desenvolvido em Limburg para incorporar projetos turísticos inovadores e sustentáveis capazes de proporcionar uma experiência única para o usuário. Através desta e de outras experiências em curso, de ciclismo semelhantes, Limburg vem se destacando no cenário internacional como um destino cicloturísticos que alia inovação e respeito ao seu patrimônio ambiental e histórico-cultural.

Embora seja possível constatar a diferença entre os níveis de desenvolvimento do cicloturismo entre Europa e Brasil, os desafios a serem enfrentados são precisamente os mesmos. Entre eles, podem ser destacadas as necessidades de parcerias público-privadas, a estruturação de uma agenda de governança estratégica que integre as Políticas Públicas de Transporte e Turismo para viabilizar a criação e manutenção de infraestruturas cicloinclusivas, a promoção dos destinos turísticos e a captação de recursos para o financiar todo o processo.

Se você é um entusiasta do turismo de bicicleta e compartilha conosco da certeza sobre o potencial que o Brasil oferece para essa atividade, convidamos você a se juntar a nós. A cada dois anos será promovido um encontro para o desenvolvimento do cicloturismo em uma macrorregião diferente do Brasil para seguirmos avançando. Sem dúvida que existe um caminho viável para desenvolvermos o nosso “Brasil Velo”, aliás o trabalho já começou. Se você estiver interessado em participar, está mais que convidado para o III Encontro para o Desenvolvimento do Cicloturismo, que acontecerá em Blumenau em 2020. Fique ligado!

IMC em Tour por SP

Foto: Nadja Balconi

Após o retorno do IMC – Introdução ao Mundo Cicloviário e do Tour pelo Nordeste, desta vez rodamos pelo Estado de São Paulo, numa parceria com a Plataforma de Mobilidade Itaú e a Rede de Governança promovida pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito. Participamos da 5ª rodada de reuniões que passou pelas cidades de São Paulo, Guarujá, Jacareí, São Carlos, Americana e Birigui, onde 43 municípios paulistas estiveram presentes.

Foto: Nadja Balconi

As reuniões contaram com a presença de Gestores de Convênios dos municípios, Secretários de Mobilidade e Transporte, Superintendentes e representantes dos Detrans de cada região. A equipe, responsável pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, apresentou dados sobre os municípios com destaque para os resultados da campanha para redução de mortes no trânsito. Nossa missão era apresentar um panorama sobre o uso da bicicleta nas cidades, promover os benefícios e o potencial destas entre servidores públicos, apresentando os caminhos que as bicicletas percorreram do Século XIX até os dias atuais e os motivos que as levam a se destacar nesse início de século, além das atuais tendências em urbanismo e mobilidade.

Além das palestras, as atividades contaram com um tempo para trocas, onde os participantes compartilharam as conquistas de cada município e também tiveram oportunidade para conhecer as soluções que outros municípios encontraram para enfrentar problemas que são comuns a todos.

IMG_1526

Os primeiros resultados já começam a surgir, fomos convidados pela Prefeitura de Jacareí, para palestrar no evento de abertura da 2ª Virada da Mobilidade, evento que abriu a Semana de Mobilidade local, onde apresentamos trechos do IMC para um público aproximado de 300 pessoas. E aos poucos vamos espalhando pelo país as vantagens das bicicletas e dos veículos à propulsão humana para melhores cidades, mais adaptadas às necessidades deste do Século XXI.

Em 2008, exatos 10 anos atrás, também estivemos em São Paulo apresentando o IMC, confira aqui.

7º Fórum de Bicicletas Manaus

IMG_7194

Pelo sétimo ano consecutivo o Pedala Manaus realiza o Fórum de Bicicletas Manaus desta vez em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável – FAS e pela sexta vez a TA esteve presente. Desta vez com o tema “A Bicicleta e os 17 ODS da ONU: Uma nova agenda de desenvolvimento urbano sustentável”, o Fórum foi muito além da bicicleta alertando aos presentes sobre necessidades urgentes para manutenção do ecossistema amigável ao ser humano em nosso planeta.

IMG_7139

Com palestrantes como Renata Falzoni, Aline Cavalcante, Suzana Nogueira e Zé Lobo o conteúdo foi repleto de informações para que possamos nós mesmos iniciar as mudanças tão necessárias, sem ficarmos sentados esperando que esforços governamentais solucionem a questão. Outro ponto de destaque nesta edição do Fórum foi a participação efetiva da Academia através da UFAM e da indústria, através da ABRACICLO e diversos de seus associados. Sentimos falta da participação importante do poder público, para que com as quatro esferas; Sociedade Civil, Academia, Indústria e Poder Público, possamos alavancar mudanças e tornar Manaus uma cidade mais segura e amiga do Ciclista.

Para encerrar em grande estilo, uma apresentação extra do filme Elo Perdido de Renata Falzoni, para a criançada da comunidade Redenção, no Cine Calçada.

CCUE0690

Fica aqui o agradecimento ao Pedala Manaus e seus coordenadores e mentores, que além de fazer um belo evento inspiram ciclistas pelo Brasil afora a seguirem buscando soluções efetivas para a circulação das bicicletas nas cidades brasileiras.

 

Bicicultura 2018

bicicultVem aí o Bicicultura 2018 no Rio, coladinho no Velo-city, no Encontro Latino Americano de Bicicletas Compartilhadas e no 100 gurias 100 medo! Serão uma série de atividades envolvendo as bicicletas, tomando a cidade por 10 dias. Tudo está caminhando bem, o tema que direcionará a montagem do programa ja foi escolhido em votação nacional “O uso da bicicleta e seu impacto na vida cotidiana”, os locais e logomarca já estão sendo definidos e a abertura da chamada de trabalhos, atividades e apoio já estão abertas. Estamos negociando apoio financeiro e já existem uma série de parceiros locais prontos pra ação. Participe você também, de mais essa edição da maior festa brasileira da promoção do uso urbano das bicicletas.

 

 

 

Transporte Ativo na Celebração dos 200 Anos da Bicicleta

Foto: Jonas Hagen

A Transporte Ativo está presente na Conferência de Ciclismo Internacional (International Cycling Conference), que está acontecendo em Mannheim, na Alemanha, nessa semana. A conferência celebra os 200 anos da invenção da “Draisine”, uma bicicleta ancestral que foi inventado em Mannheim pelo Karl Drais.

Foto: Jonas Hagen

Uma reprodução da “Draisine”, inventada em 1817

Jonas Hagen, estudante de doutorado da Columbia University de Nova York e colaborador da Transporte Ativo, apresentou um trabalho sobre as bicicletas o os triciciclos de carga do Rio de Janeiro, elaborado em parceria com Zé Lobo, Diretor Executivo da Transporte Ativo, e Clarisse Linke, Diretora do ITDP Brasil. O trabalho usa dados coletados em 2014 e 2015 em nove centros comerciais da capital carioca.

Links relacionados:
Bicicletas e Logística
Contagem de Estabelecimentos Comerciais com Entregas por Bicicleta no Rio de Janeiro