Pedalada Entre Museus Acessíveis | 6ª Rodada

ema62

Vivemos numa país de contrastes e de desigualdades. Imensos desafios para serem enfrentados com políticas públicas, investimentos em desenvolvimento humano e ações de curto, médio e longo prazo. É muito importante levar educação, cultura, esporte a todas as pessoas para que elas cresçam como seres humanos e nossa sociedade seguirá no caminho da igualdade, da justiça e da fraternidade.
Entre guias, educadores. professores, intérpretes de libras e as crianças e adolescentes surdos de Magé, participantes do Entre Museus, éramos cerca de 40 pessoas que por 2 horas puderam vivenciar essa micro ação com macro resultados.

ema61

Numa pedalada pela história do centro do Rio, os pequenos e atentos jovens de Magé aprenderam com o historiador Deivid um pouco do que explica a origem dos problemas citados mais acima, e que eles não precisam (e não vão) prevalecer. Entre uma aula e outra curtiram a liberdade divertida da bicicleta no que para muitos foi um passeio inédito pelo centro e zona sul da capital carioca. No nosso roteiro nada surpreende quem vive na capital ou já conhece, mas é uma descoberta incrível para quem é carente dessas oportunidades, como para quem nunca saiu do fundo da Baía de Guanabara. Vimos o deslumbre a euforia a cada nova paisagem, prédio ou atração.

ema63

Para a TA é um privilégio e uma honra ter essa parceria com o Museu do Amanhã para renovar aquela sensação mágica da primeira pedalada, mesmo para quem já sabe andar de bicicleta. Esta que é a melhor invenção para conhecer, com sua própria força, um lugar novo, uma história nova, uma esperança nova de que cada vez mais pessoas tenham liberdade de escolha do que ser e fazer e capacidade para isso. A bicicleta, como a educação, não pertence à estrada, as virtudes das duas permitem que elas façam o próprio caminho.
Construa e eles virão, dê oportunidades e eles crescerão. Vamos de bicicleta?

ema64

Transporte Ativo no Festival Internacional de Bicicletas de Carga 2022

d

No final de outubro estivemos em Amsterdam para o ICBF (International Cargo Bike Festival), Desde 2012 os organizadores reúnem anualmente representantes do setor público e privado, empresas de logística, terceiro setor e público em geral, interessados em conhecer e incentivar o transporte de cargas por bicicletas e triciclos. Prática que pode melhorar a vida nas cidades pois diminui congestionamentos, melhora a qualidade do ar e ainda reduz os custos.

g

Neste ano o evento buscou otimizar custos e dividiu o Pavilhão de Exposições com o evento World of e-mobility. Convidados a palestrar no salão principal levamos uma apresentação sobre a Cultura da Bicicleta de Carga no Rio de Janeiro. Na plenária, 30 europeus, americanos e asiáticos viram como as bicicletas tem um papel importante na entrega de cargas e encomendas na capital carioca, chamando atenção que 100% dos veículos são muito simples, até limitados em relação aos modelos utilizados no Hemisfério Norte. O que não impede a grande relevância das entregas por transporte ativo e que não são exclusividade do Rio de Janeiro. Recebemos avaliações e sugestões valiosas para ajudar a melhorar nossa atuação nesta área.

c

Praticamente todos os expositores levaram exclusivamente cargueiras e triciclos elétricos para o Pavilhão, marcando bem o caminho escolhido no velho mundo para a descarbonização dos transportes de carga, embora essa predominância não seja uma unanimidade completa. Encontramos um expositor com uma belíssima bicicleta cargueira amarela (acima) inteiramente projetada e construída com muito esmero pelo criador da empresa ten:07.

a

Na pista de testes pudemos experimentar excelentes cargueiras de produção e alguns protótipos o que deixa claro que a carga ainda será levada a pedal e a tendência é de aumento do uso das magrelas para este serviço. E que seja, preferencialmente com uso maior de modelos ativos que motorizados, mais caros e menos sustentáveis.

e

Em Amsterdam é tímido uso de cargueiras levando mercadorias, de 10 a 20%, segundo Jost Sluijsmans no webinário “Where the Cargos, Bikes Go”, enquanto por aqui praticamente 100% das bicicletas de carga são usadas para entregas e serviços. Lá o transporte de crianças é mais comum e cresce segundo os locais, mas com grande predomínio de modelos eletrificados. Cargas são entregues com vans e caminhões motorizados, cada vez mais elétricos e, não raro, seguem a cartilha de parar em calçadas sem muita cerimônia. Sem dúvida é um demérito, mas como vivenciamos  em Amsterdam um respeito maior aos ciclistas é evidente o grande potencial de humanizar ainda mais a cidade com o estímulo ao uso das bicicletas para entregas na última milha, alinhando a logística de bens e serviços ao que já é modelo quanto à mobilidade de pessoas.

f

Tivemos ainda a oportunidade de estar pessoalmente com Jos Sluijsmans e Tom Parr (de preto), organizadores do International Cargo Bike Festival e Melissa Bruntlett, Modacitylife que foi a anfitriã do auditório e das palestras.

Pedalando pelo Bem-Estar

be6

   Suprir suas necessidades e se satisfazer com a vida. Este é um conceito de bem-estar e a bicicleta é mais uma vez uma forte aliada para esta virtude humana. Não só pela promoção da saúde do indivíduo (pelo exercício) e coletiva (transporte limpo), mas pela alegria de se mover pela sua própria força, sentindo o vento no rosto, o sol, a chuva, na máxima realização da liberdade.

BE2

BE3

E no sábado passado, a convite do Setor Educativo do Museu do Amanhã, nos juntamos à programação do Dia do Bem-Estar, organizando um passeio pelo centro do Rio de Janeiro. A cada parada o historiador David, que já nos guia no Entre Museus Acessíveis, nos presenteou com pequenas aulas sobre nossa história, não tão agradável quanto o passeio, mas fundamental para o nosso bem-estar. É preciso conhecer suas origens para entender no que nossos antepassados erraram, garantindo assim que no presente e no futuro a saúde e o bem-estar coletivo sejam objetivos diários. Viver em sociedade é saber compartilhar espaços, respeitar o próximo e cuidar da cidade como se fosse nossa casa. Nada melhor que experimentar isso em bicicletas.

BE4

Pedalamos juntos e em harmonia pela história da cidade vendo, ouvindo, refletindo sobre o passado, o presente e o futuro. Num lindo dia agradável e quente em que a companheira de duas rodas serviu direitinho para dar o ritmo de uma desejada evolução como seres humanos e sociedade, devagar mas sempre, leve e suave com plena satisfação pela vida, que é mais feliz para quem pedala.

BE5

Transporte Ativo no CityLab 2022 | Amsterdam

IMG_1241

A convite do Global Designing Cities Initiative, Aspen Institute e Bloomberg Philantropies, participamos com muita honra, do Bloomberg CityLab 2022. Um evento que reuniu mais de 500 líderes de cidades, especialistas, inovadores, artistas de todo o mundo, junto com mais de 40 prefeitos de algumas das principais cidades dos EUA, Europa, África e América Latina. Todos compartilharam soluções para os desafios urgentes das cidades do século XXI: mudanças climáticas, saúde mental, mobilidade, infraestrutura, imigração, tecnologia, acessibilidade, tudo com muita diversidade, arte e cultura.

IMG_1410

Nossa missão foi fazer uma apresentação inspiradora para os presentes no lançamento do programa BICI – Bloomberg Initiative for Cycling Infrastructure, em uma sessão intitulada “If you build they will bike • Infrastructure can change cities.” | “Se você construir, eles vão andar de bicicleta • A infraestrutura pode mudar as cidades.” convencendo o público a investir na mobilidade por bicicletas, como superar barreiras e como transformar ruas ao redor do mundo em lugares seguros, saudáveis e justos para todos. E ainda apresentar o que é possível quando a vontade política é combinada com o desejo de expandir a rede de bicicletas de uma cidade, para alcançar objetivos mais amplos. O BICI é um programa de financiamento competitivo que visa promover mudanças catalíticas na infraestrutura de ciclismo urbano em todo o mundo. Saiba mais clicando na imagem abaixo, ou usando o QR code.

BICI

Participar foi uma experiência única para aprender, compartilhar conhecimento, fazer novos contatos e mostrar as possibilidades que a bicicleta apresenta para lidar com os desafios das Cidades do Século XXI. A apresentação foi muito bem recebida e nos deixou com a sensação de missão cumprida! Agradecemos o convite, a oportunidade e seguimos promovendo as bicicletas em busca de Cidades melhores e mais justas para todos.

IMG_1264

Conclusão: As pessoas chave para mudanças concretas e eficientes, vem das cidades, com atuações locais, Prefeitos, Cidadãos e Sociedade Civil Organizada.

Cidades Brasileiras presentes: Rio de Janeiro – RJ, Fortaleza – CE, Maceió – AL e Novo Hamburgo – RS.

Prêmio Promovendo a Mobilidade por Bicicleta no Brasil | Resultados

#P2

Em sua nona edição, o prêmio “Promovendo a Mobilidade por Bicicleta” novamente selecionou as melhores iniciativas brasileiras em prol das bicicletas. Boas ideias merecem e precisam ser reconhecidas e homenageadas.

Conheça os vencedores:

Vencedora Categoria Ação Educativa e de Sensibilização:

Biciconexão
Pedala Manaus – Manaus – AM

#AE1b
Em plena pandemia do COVID 19, o movimento Pedala Manaus iniciou mais uma ação de promoção ao incentivo e uso da bicicleta na cidade de Manaus, chamada Biciconexão.
O aumento do número de pessoas desempregadas, a alta do consumo das famílias através de delivery que fez aumentar o número de pessoas fazendo entrega de bicicletas, o desaconselhamento das autoridades de saúde quanto ao uso do transporte coletivo e a crise econômica, fizeram surgir a necessidade das pessoas pensarem na bicicleta como alternativa de transporte e ferramenta de trabalho.
Conectados a esta realidade, o Pedala Manaus fez e faz a ponte entre quem tem uma bicicleta e não a usa com quem está precisando de uma para deslocamento ou trabalho. A divulgação para doação e a eleição da pessoa que necessita da bicicleta é feita integralmente de forma gratuita através das redes sociais. Uma vez recebida a doação, o movimento providencia a manutenção completa da bicicleta e leva até a pessoa que dela está precisando, também de forma gratuita. Essa conexão de pessoas têm tido reflexo imediato, uma vez que desenvolve o senso de solidariedade, motivando os doadores a pensar de forma mais colaborativa, além de auxiliar quem recebe, que passa a ter um meio de transporte e de auxílio na renda familiar.
Instagram.com/pedalamanaus

.

Menções Honrosas Categoria Ação Educativa e de Sensibilização:
Comunidades Escolares que Pedalam
Ciclocidade – São Paulo  – SP

#AE2
Por meio de ações articuladas junto a quatro escolas públicas (duas municipais e duas estaduais) próximas às estações Grajaú e Primavera Interlagos da CPTM (zona sul de São Paulo), o projeto Comunidades Escolares que Pedalam levou a discussão sobre mobilidade urbana e a prática da bicicleta para dentro do ambiente escolar. Mobilidade urbana e direito à cidade são temas que afetam diretamente a vida de todos, com amplas possibilidades de conexão tanto com assuntos curriculares de diversas disciplinas quanto com as experiências pessoais de alunos e professores. A bicicleta oferece enorme potencial como ferramenta didática, podendo ser um instrumento para se colocar em prática diversos aspectos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Mesmo diante das contingências impostas pela pandemia no funcionamento das escolas, foi possível envolver diretamente mais de quinhentas pessoas.
Vídeo sobre o projeto clicando aqui.

.

Vermelhinhas” – As Bicicletas Compartilhadas Tarifa Zero
Autarquia Empresa Pública de Transportes – Maricá – RJ

#AE3
O Projeto “Bike Vermelhinha” se iniciou em Março de 2021 e o resultado foi além das expectativas!!!! Chegou para incentivar o uso do transporte sustentável, proporcionar lazer a todas as pessoas e contribuir com a mobilidade urbana ativa de Maricá. O sucesso do projeto Tarifa Zero é aparente, tem a cada dia incentivado mais pessoas, sejam elas de Maricá ou turistas, e é um grande motivo de orgulho para todos!
www.eptmarica.rj.gov.br

.

Vencedor Categoria Levantamento de Dados e Pesquisas:
Por que gostamos de andar de bicicleta?
Laboratório de Neurobiologia e Ritmicidade Biológica-UFRN  – NATAL – RN

#LD1
Este projeto originou a partir das evidências do uso da bicicleta como um instrumento terapêutico para os pacientes com Doença de Parkinson. Estamos também estudando os processos funcionais ao longo do aprendizado do andar de bicicleta. Os nossos resultados estão contribuindo com o desenvolvimento de novas estratégias de uso da bicicleta como um instrumento mais eficiente no tratamento da redução dos sintomas motores e não motores dos pacientes com Parkinson bem como subsídios para o fortalecimento da mobilidade ativa por bicicleta.
Saiba mais clicando aqui.

.

Menções Honrosas Categoria Levantamento de Dados e Pesquisas:
Índice de avaliação da qualidade de infraestruturas cicloviárias (QualICiclo)
Diogo Gomes Pereira Batista – João Pessoa – PB

#LD2
O Índice de avaliação da qualidade de infraestruturas cicloviárias ou QualiCiclo foi desenvolvido com o objetivo de avaliar as condições de acessibilidade cicloviária de espaços dedicados ao ciclista, como ciclovias e ciclofaixas. O método possui uma série de indicadores e critérios de análise sobre a cicloestrutura, a sinalização, o ambiente e a segurança, contribuindo com a geração de dados para mapeamento e diagnósticos do transporte por bicicleta. Assim, reflete-se a importância da pesquisa através de um instrumento prático de auxílio ao planejamento cicloviário, como forma de melhorar as condições de uso da bicicleta no contexto brasileiro.
Saiba mais clicando aqui.

.

Texto para discussão – Melhores práticas em bicicletários – São Paulo
Ciclocidade – São Paulo  – SP

#LD3
O Texto para discussão – Melhores práticas em bicicletários – São Paulo é de uma extensa pesquisa voltada para entender as melhores práticas em bicicletários associados a estações/terminais de transporte público em São Paulo, levantando aspectos legais, entrevistas com operadores sobre desafios e histórico de implantação, levantamento de locais que têm ou precisam ter este tipo de equipamento e dados históricos de uso do sistema. A partir do estudo, a licitação para a concessão dos terminais de ônibus urbanos da capital paulista, um edital de porte de R$ 6 bilhões, foi alterada para estabelecer um cronograma de adequação das áreas de estacionamento existentes sem zeladoria para que se tornassem bicicletários com zeladoria, bem como ampliar alguns existentes, garantindo seu uso gratuito pela população pelos próximos 30 anos.
Acesse a publicação clicando aqui.

.

Vencedor Categoria Empreendedorismo:
Rolé no Coração do Recife
La Ursa Tours – Recife – PE

#Emp1
O nosso roteiro audioguiado Rolé No Coração do Recife, nasceu como uma provocação no meio do cenário pandêmico que passamos. A ideia era que as pessoas não deixassem de pedalar como uma forma de relaxar e conhecer mais a cidade onde vivem. Serve tanto para as pessoas recifenses como também para quem vem de fora e quer conhecer a nossa região central, tão cheia de vida, cultura e gastronomia singulares.
Agradecemos imensamente a todas e todos que apostaram e nos ajudaram nessa pedalada!
laursatours.com

.

Menções Honrosas Categoria Empreendedorismo:
PIOLA bolsas cariocas
PIOLA – Rio de Janeiro – RJ

#Emp2B
Somos uma marca carioca de bolsas e acessórios para ciclismo, desenvolvidos e costurados por mulheres no Rio de Janeiro. Pensamos os produtos como parte de um ciclo: conceito, matéria prima, produção e distribuição, uso, conserto… Queremos melhorar a qualidade de vida dos usuários mas também de todos os envolvidos, desde quem produz o tecido até quem transporta as bolsas dos ateliês até o estúdio. Priorizamos o uso de matéria prima nacional, trabalhamos respeitando os princípios do comércio justo, e temos uma política de lixo zero. Nossas bolsas e acessórios, desenvolvidas por nós mesmas na nossa oficina carioca, são resistentes, impermeáveis, funcionais, leves e bem coloridas.
olapiola.com.br

.

Bicicleta de Bambú
Velobambu – Rio de Janeiro – RJ

#Emp3b

A Velobambu, que teve seu berço no meio da pandemia de Covid, nasceu como um empreendimento de produção e desing de quadros de bicicletas de bambu. Sendo composta por dois amigos e ciclistas urbanos que somados tem mais de 30 anos de experiência sobre a bicicleta. Buscamos ser, não somente uma referência nesse mercado, mas também uma empresa que fomente, apoie e incentive a mobilidade urbana através do uso da bicicleta como meio de vida. Estamos desenvolvendo outros produtos feitos de bambu como, guidão, bagageiro, paralamas, perna-de-pau e banco de monociclo, entre outras ideias que forem surgindo durante a jornada. A Velobambu nasceu com a junção do que julgamos fundamental para uma cidade mais justa e equilibrada: respeito, direito à cidade, consciência ambiental. Fica aqui esse convite aberto a conhecer nossos produtos e propósito.
Instagram.com/velobambu.

Nesta edição foram 44 inscrições nas 3 categorias, ficando atrás apenas da VII edição em  2020, mais uma vez, com destaque para a categoria Ação Educativa e de Sensibilização que teve recorde de inscrições, equivalentes a 64% dos inscritos. Destaque para as regiões sudeste que enviou 48% e Nordeste  25% das inscrições. Abaixo alguns dados sobre as inscrições.

#ab

Agradecemos pelo envio dos projetos e parabenizamos pelas iniciativas. Esse ano a disputa foi bastante acirrada nas categorias Ação Educativa e Empreendedorismo, onde a diferença entre prêmio e menção honrosa foi de apenas um ponto!

Agradecemos também ao comitê de avaliação e ao Itaú Unibanco, que torna possível a realização do Prêmio Promovendo a Mobilidade por Bicicleta no Brasil.
Aproveitamos a oportunidade para anunciar a inclusão da categoria Políticas Públicas, no próximo ano. 🙂

Para saber mais sobre o Prêmio e suas edições e premiações anteriores, clique aqui.