IMC em Tour por SP

Foto: Nadja Balconi

Após o retorno do IMC – Introdução ao Mundo Cicloviário e do Tour pelo Nordeste, desta vez rodamos pelo Estado de São Paulo, numa parceria com a Plataforma de Mobilidade Itaú e a Rede de Governança promovida pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito. Participamos da 5ª rodada de reuniões que passou pelas cidades de São Paulo, Guarujá, Jacareí, São Carlos, Americana e Birigui, onde 43 municípios paulistas estiveram presentes.

Foto: Nadja Balconi

As reuniões contaram com a presença de Gestores de Convênios dos municípios, Secretários de Mobilidade e Transporte, Superintendentes e representantes dos Detrans de cada região. A equipe, responsável pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, apresentou dados sobre os municípios com destaque para os resultados da campanha para redução de mortes no trânsito. Nossa missão era apresentar um panorama sobre o uso da bicicleta nas cidades, promover os benefícios e o potencial destas entre servidores públicos, apresentando os caminhos que as bicicletas percorreram do Século XIX até os dias atuais e os motivos que as levam a se destacar nesse início de século, além das atuais tendências em urbanismo e mobilidade.

Além das palestras, as atividades contaram com um tempo para trocas, onde os participantes compartilharam as conquistas de cada município e também tiveram oportunidade para conhecer as soluções que outros municípios encontraram para enfrentar problemas que são comuns a todos.

IMG_1526

Os primeiros resultados já começam a surgir, fomos convidados pela Prefeitura de Jacareí, para palestrar no evento de abertura da 2ª Virada da Mobilidade, evento que abriu a Semana de Mobilidade local, onde apresentamos trechos do IMC para um público aproximado de 300 pessoas. E aos poucos vamos espalhando pelo país as vantagens das bicicletas e dos veículos à propulsão humana para melhores cidades, mais adaptadas às necessidades deste do Século XXI.

Em 2008, exatos 10 anos atrás, também estivemos em São Paulo apresentando o IMC, confira aqui.

Conexão Rio-Medellín

Medellín e Rio de Janeiro, duas capitais localizadas a mais de 7 mil quilômetros de distância sob diferentes latitudes.

Agosto de 2018, nossa quinta visita a esta cidade que é símbolo de resiliência. Desta vez viemos a convite do coletivo Más Urbano, que assim como a Transporte Ativo, atua promovendo o uso da bicicleta como meio de transporte.

Mdlln1

O convite foi para participar de duas atividades de socialização e intercambio entre projetos e experiências. Um bate-papo realizado a céu aberto em espaço público ao lado de uma das principais estações de metrô da cidade. Outro realizado no terraço de um espaço de co-working com a participação de representantes instituições públicas e coletivos que trabalham com o tema.

Mdlln2

Foram dois momentos onde tivemos a oportunidade de conhecer mais sobre a cidade seus projetos e processos e contar um pouco sobre o que acontece no Rio e como atuamos frente a promoção do uso da bicicleta como meio de transporte. Entre tantos temas abordados, a Pesquisa Perfil Ciclista foi um dos destaques no segundo bate-papo realizado em Medellín.

E como irem além das metas previamente estabelecidas também é nossa meta, propusemos uma intervenção na rua, para que com a participação dos ciclistas da cidade, ajudássemos a pensar conjuntamente uma solução de infraestrutura cicloviária para um cruzamento que é um dos principais pontos críticos da região metropolitana. Inspirados na metodologia do Ciclo Rotas Centro, levamos mapas para a rua, para que os ciclistas que circulam por esse ponto pudessem opinar sobre o tipo de solução que lhes parecia mais adequado. Além da interação através dos mapas, realizamos um exercício de contagem e filmamos a ação.

mdlln4

Das semelhanças entre as cidades podemos dizer que o fato de que as políticas de promoção do uso da bicicleta em ambas as cidades estar ligado as questões ambientais, é a principal. No Rio as ciclovias surgem junto com a Eco 92 e avançam dentro da Secretaria de Meio Ambiente, em Medellín a crise gerada pelo ar altamente contaminado impulsiona o sistema de bicicletas públicas e infraestrutura ciclista da cidade.

Duas capitais Latino-americanas cheias de contradições e que, com suas diferentes características, são muito favoráveis aos deslocamentos em bicicletas.

Conexão Transporte Ativo – Más Urbano. O que nos conecta? O desejo de promover e construir cidades mais ciclaveis, justas e equitativas em relação ao uso do espaço público.

Por mais pessoas, em mais bicicletas, mais vezes!

Informação que se espalha

Use2Um dos principais objetivos da Transporte Ativo é coletar e distribuir informação de qualidade e quando vemos isso ser replicado de forma espontânea e eficaz, ficamos muito felizes e orgulhosos. Em 2017 a ANTP em seu livro Mobilidade Humana por um Brasil Urbano, e a Prefeitura do Rio, em seu Plano Estratégico 2017 – 2020, usaram dados da TA, de cinco diferentes projetos para expor e validar seus conteúdos.

Use1Este ano, foi a vez do Projeto Bicicleta nos Planos da UCB, usar dados da TA em dois de seus sensacionais infográficos. Um elaborado pelo ITDP Brasil – Bicicleta e Transporte Coletivo e outro pela Natalia Garcia – Cidades para Pessoas – A Bicicleta na Escala do Bairro. Mais recentemente, foi a vez da Aliança Bike e do Labmob usarem os dados e metodologias, na pesquisa Ciclologística: entregas de bicicleta e triciclo no Bom Retiro, no livro A Economia da Bicicleta  no Brasil e no recém lançado documento Bicicletas Elétricas, como e por que incentivá-las.

Post_1

Em meio a tudo isso, no dia 8 de agosto, nossas metodologias eram citadas em três diferentes atividades, na Oficina de Contagens de Ciclistas da Ciclocidade, na Oficina sobre metodologias de para contagens de bicicletas do ITPD Brasil, ambas em São Paulo, e na Cidade do México, o ITDPMX citava a pesquisa Perfil do Ciclista.Post_2

Ainda este ano, a AMA-JB utilizou a metodologia TA para contagens de bicicletas no bairro carioca do Jardim Botânico e nos próximos dia, a SMUIH – Secretaria Municipal de Urbanismo Infraestrutura e Habitação, irá realizar contagens com a metodologia em contagens de bicicletas no Centro do Rio.

Seguimos levantando dados e fatos, assim como desenvolvendo tutoriais que permitam que a metodologia seja reaplicada em qualquer local.

As pesquisas e dados utilizados nestas publicações são:
CicloRotas Centro
Pesquisa Perfil do Ciclista 2015
Logística em Bicicletas
Guia Incluindo a Bicicleta nos Planos
Contagens de bicicletas
Estão todos à disposição para serem usados, precisando de algum suporte, entre em contato.

América Latina e os Sistemas de Bicicletas Públicas

ELASBPC-1024x768Depois do encontro realizado em Medellín em outubro de 2016 e de 2 oficinas realizadas na Cidade do México e em Rosario na Argentina, foi a vez do Rio de Janeiro, receber mais uma atividade internacional sobre Sistemas de Bicicletas Públicas e Compartilhadas.ELABPC_marca_2

A Transporte Ativo realizou, nos dias 9 e 10 de junho de 2018, o quarto Encontro Latino-americano de Sistemas de bicicletas Públicas e Compartilhadas. O evento aconteceu no Galpão de operações do Sistema Bike Rio e contou com a participação de 90 pessoas das Américas do Sul e Norte, Europa e Africa. Entre representantes do poder público, sociedade civil, ONG´s e empresas privadas.

Tembici 2

Durante os dois dias de evento foram debatidas inovações e tendências dos sistemas a nível mundial, campanhas, níveis de serviço, sistemas dockless, uso de dados e troca de tecnologia além apresentados casos de sistemas brasileiros e latinos.

O evento também foi marcado pela apresentação da Plataforma LatinoSBP.org . Projeto da Transporte Ativo, que também com o patrocínio do Banco Itaú.

Painel de Encerramento e lançamento da Plataforma LatinoSBP.org com a participação de representantes da PEBSS e NACTO.

Painel de Encerramento e apresentação da Plataforma LatinoSBP.org com a participação de representantes da PEBSS e NACTO.

Esses espaços vêm gerando inquietudes e necessidades por novos encontros com acúmulo de conteúdo e envolvimento de novos atores estratégicos ao tema. Em 2019 o encontro será em Guadalajara, no México.

Velo-city 2018

Após 8 anos de negociações, realizamos o sonho de receber a Velo-city no Brasil, o maior encontro sobre mobilidade por bicicletas do mundo voltado para agentes do poder público, técnicos, pesquisadores, empresas do setor e organizações da sociedade civil.

O painel de abertura contou com a presença dos brasileiros Márcio Deslandes, da Federação Européia de Ciclismo (ECF), entidade responsável pela Velo-city, e as representantes da Casa La Frida, organização que recebeu neste ano o V Prêmio Mobilidade por Bicicleta da Transporte Ativo.

Com o tema “Acesso à Vida”, a cidade do Rio de Janeiro é a primeira a sediar uma edição do encontro na América Latina. Realizado na região portuária do Rio, área que passou nos últimos anos por um processo de revitalização e redesenho do espaço viário, o encontro contou com 1165 participantes, entre palestrantes (199) e inscritos, municiou técnicos e gestores do Rio, Brasil e América Latina.

Com muita informação, as apresentações surpreenderam os europeus em relação aos trabalhos que vêm sendo realizados na América Latina. Além, é claro, do excelente intercâmbio entre os presentes que já começam a realizar parcerias e atividades pós conferência.

A Velo-city é um momento para trocas, aprendizado e renovação das forças na promoção da bicicleta e seu uso na cidade. Tivemos a honra de, além de participar de todas as tratativas, realizar também a curadoria dos trabalhos selecionados e das plenárias da conferência.

As próximas edições da Velo-city serão em Dublin, na Irlanda em 2019 e na Cidade do México em 2020.

Abaixo, vídeo de Rachel Schein com um resumo do que aconteceu durante a conferência.