Ciclismo e Lazer

Willi

Divulgando aqui o recente projeto do amigo, parceiro e criador do Vá de Bike, Willian Cruz!
Se ele está envolvido, com certeza é coisa boa! 🙂

.

Ciclismo e Lazer é tema de novo curso gratuito na plataforma EAD Sesc Digital

Elaborado pelo idealizador do portal Vá de Bike, Willian Cruz, o conteúdo, distribuído em seis videoaulas, traz informações e dicas sobre a bicicleta como uma possibilidade de lazer, prática esportiva e também um meio de transporte

Dezembro, 2022 – Com o objetivo de propor uma abordagem ampla sobre a bicicleta e seu uso como meio de lazer, prática esportiva, deslocamento e viagens, Ciclismo e Lazer é o novo curso gratuito disponível na plataforma EAD Sesc Digital a partir de 8 de dezembro de 2022.

O conteúdo é desenvolvido e apresentado pelo cicloativista Willian Cruz, idealizador do site Vá de Bike e com mais de 20 anos de pedal, em parceria com a Gerência de Desenvolvimento Físico e Esportivo do Sesc São Paulo. “Se você tem interesse em utilizar a bicicleta em passeios pela cidade, alinhado a uma prática esportiva, e quer saber mais sobre as possibilidades de viagens, esse curso é um grande aliado”, afirma Cruz.

Com linguagem acessível, curiosidades, relatos de experiência e dicas, o curso possui seis aulas de aproximadamente 20 minutos e apresenta a trajetória histórica da bicicleta, passando por grupos de ciclistas, modalidades esportivas do pedal, cicloturismo e estruturas para a circulação segura, por meio de vídeos e materiais complementares com artigos, referências de leituras, filmes e outros conteúdos que enriquecem a pesquisa sobre o tema. A ideia é que qualquer pessoa, independentemente da idade ou do condicionamento físico, pode aderir a essa prática, e há muitas opções para começar.

O que você vai aprender

Na primeira videoaula, “Breve História da Bicicleta”, os temas centrais são origem e as transformações que o veículo sofreu ao longo dos séculos. Cita-se desde a teoria que atribui sua invenção ao pintor Leonardo da Vinci (1452-1519) e outras versões sobre seu surgimento, como a francesa e a alemã. O aluno poderá aprender também sobre as primeiras provas de ciclismo, como o Tour de France e Giro d’Italia, realizados, respectivamente, em 1903 e 1909, e sobre a chegada das primeiras bicicletas ao Brasil trazidas por imigrantes europeus, no final do século XIX, e a construção dos velódromos no Rio de Janeiro e em São Paulo a partir de 1892.

A segunda aula, “Primeiros Passos, Aptidão Física e Segurança Viária”, esclarece os motivos mais comuns pelos quais as pessoas têm medo de pedalar, aborda o desenvolvimento de aptidão física e reforça a importância da segurança viária para a prática. Traz também aspectos positivos do ciclismo à saúde questões de mecânica básica, tutoriais de como regular freio e câmbio, trocar corrente e câmara furada, além de leis específicas para o uso da bike no contexto urbano.  A bicicleta, sendo um veículo, deve trafegar na rua, e não na calçada, espaço de preferência do pedestre. Categorizada como veículo pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), ela tem, inclusive, de acordo com o Artigo 58, prioridade em relação aos demais veículos.

“Grupos de Ciclistas – Uma Realidade Brasileira do Lazer com Bicicleta” é o tema da terceira aula e traz um panorama de como as pessoas se organizam para sair de bike em turma. A arquiteta, jornalista, videorepórter, fotógrafa e cicloativista Renata Falzoni começou a utilizar a bicicleta como meio de transporte na década de 70 e, em 1989, juntamente com outros ciclistas, fundou o Night Biker’s Club do Brasil, o primeiro grupo de pedal noturno. De lá para cá, muitos outros grupos surgiram, trazendo variadas propostas de passeios em diferentes níveis de dificuldade, duração e dias da semana.

Na quarta aula, “As Modalidades Esportivas do Pedal” contempla as diferentes atividades esportivas que envolvem a bicicleta, quais as características de cada uma, diferenças no equipamento e as competições como o ciclismo de estrada, o ciclismo de pista e as mountain bikes, também chamadas de MTB, que possuem pneus largos com cravos e suspensão para facilitar o percurso em terrenos montanhosos e acidentados. A intenção é mostrar que não é preciso ser um atleta profissional para se interessar pelos estilos de ciclismo esportivo, começar a aprender ou mesmo adaptá-los à realidade de cada um.

Para os que gostam de se aventurar, a quinta aula, “Cicloturismo”, reúne informações essenciais para realizar viagens de bicicleta, como organização, planejamento, estrutura dos locais, revisão da bike; e apresenta roteiros consagrados que dispõem de infraestrutura de serviços (oficinas, pousadas e restaurantes) e boas sinalizações. Nessa aula, o aluno poderá conhecer sobre os roteiros mais comuns no Brasil, como, por exemplo, o Vale Europeu, em Santa Catarina; a estrada velha de Santos, dentro do Parque Caminhos do Mar; a Estrada Real, que atravessa os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo; e o trajeto Fortaleza-Jericoacoara.

Na sexta e última aula, o tema “Estruturas Cicloviárias e a Atuação da Sociedade Civil” aborda a discussão sobre mobilidade urbana e apresenta pesquisas que comprovam que incorporar a bicicleta como uma opção de locomoção nas cidades transforma positivamente a paisagem e também os hábitos das pessoas. A aula também informa sobre políticas públicas, implantação de ciclovias, bicicletários, paraciclos, empréstimo de bicicletas e interligação com outras formas de transporte em São Paulo e em outras cidades do Brasil e do mundo. Neste sentido, saber como cobrar o poder público por mudanças é essencial.

Sobre o Clube do Pedal do Sesc São Paulo
Assistiu ao curso EAD e quer saber onde praticar? As unidades do Sesc São Paulo oferecem encontros pontuais ou permanentes que podem ser frequentados por interessados em iniciar a prática do pedal ou se aprimorar no esporte. As unidades de Catanduva, Santos e Sorocaba possuem o Clube do Pedal, que realiza saídas em grupos para trajetos curtos e longos.

Demais unidades, como Sesc Avenida Paulista e Sesc Pinheiros, realizam saídas frequentes e ações como a Pedalada Noturna.
Informações sobre inscrições, documentos necessários e dias dos encontros podem ser obtidas em sescsp.org.br

Agenda de atividades do Clube do Pedal:
Luzes da Cidade – Sesc Avenida Paulista
https://www.sescsp.org.br/programacao/pedal-esportivo-noturno-luzes-da-cidade/

Sobre Willian Cruz
Cicloativista, Willian Cruz é o fundador do portal Vá de Bike, projeto que, além do site na internet, conta com páginas no Facebook e no Instagram, tendo um canal no Youtube que disponibiliza ao público dicas em vídeo sobre mobilidade, legislação, cicloturismo, cicloativismo, saúde e lazer. Nos anos 2000, incentivado por um amigo, começou a pedalar pelas ruas de São Paulo e logo passou a integrar grupos de pedalada noturna, fazer trilhas aos finais de semana e participar de competições de mountain-bike. Não demorou para que a bicicleta se tornasse seu principal meio de transporte pela cidade e, percebendo as carências e necessidades de infraestrutura para a segurança dos ciclistas como um todo, tornou-se um importante representante do cicloativismo nacional.

Sobre o Sesc Digital
Lançada em 2020, a plataforma de conteúdo Sesc Digital visa transpor as ações do Sesc São Paulo ao ambiente e à linguagem digitais, expandindo o alcance das suas práticas de ação e difusão cultural de forma substancial e diferenciada, fortalecendo seu compromisso com um processo educativo participativo, continuado e inclusivo. O Sesc São Paulo trata com muita seriedade a privacidade de seus usuários e tem o compromisso de mantê-los informados em relação ao uso que é feito com os dados que são fornecidos.

EAD Ciclismo e Lazer
Conteúdo:
6 videoaulas de 20 minutos cada
Disponível em 8 de dezembro

Local: Plataforma EAD Sesc Digital (https://ead.sesc.digital)

Teaser aqui

Pedalando pelo Bem-Estar

be6

   Suprir suas necessidades e se satisfazer com a vida. Este é um conceito de bem-estar e a bicicleta é mais uma vez uma forte aliada para esta virtude humana. Não só pela promoção da saúde do indivíduo (pelo exercício) e coletiva (transporte limpo), mas pela alegria de se mover pela sua própria força, sentindo o vento no rosto, o sol, a chuva, na máxima realização da liberdade.

BE2

BE3

E no sábado passado, a convite do Setor Educativo do Museu do Amanhã, nos juntamos à programação do Dia do Bem-Estar, organizando um passeio pelo centro do Rio de Janeiro. A cada parada o historiador David, que já nos guia no Entre Museus Acessíveis, nos presenteou com pequenas aulas sobre nossa história, não tão agradável quanto o passeio, mas fundamental para o nosso bem-estar. É preciso conhecer suas origens para entender no que nossos antepassados erraram, garantindo assim que no presente e no futuro a saúde e o bem-estar coletivo sejam objetivos diários. Viver em sociedade é saber compartilhar espaços, respeitar o próximo e cuidar da cidade como se fosse nossa casa. Nada melhor que experimentar isso em bicicletas.

BE4

Pedalamos juntos e em harmonia pela história da cidade vendo, ouvindo, refletindo sobre o passado, o presente e o futuro. Num lindo dia agradável e quente em que a companheira de duas rodas serviu direitinho para dar o ritmo de uma desejada evolução como seres humanos e sociedade, devagar mas sempre, leve e suave com plena satisfação pela vida, que é mais feliz para quem pedala.

BE5

Transporte Ativo no CityLab 2022 | Amsterdam

IMG_1241

A convite do Global Designing Cities Initiative, Aspen Institute e Bloomberg Philantropies, participamos com muita honra, do Bloomberg CityLab 2022. Um evento que reuniu mais de 500 líderes de cidades, especialistas, inovadores, artistas de todo o mundo, junto com mais de 40 prefeitos de algumas das principais cidades dos EUA, Europa, África e América Latina. Todos compartilharam soluções para os desafios urgentes das cidades do século XXI: mudanças climáticas, saúde mental, mobilidade, infraestrutura, imigração, tecnologia, acessibilidade, tudo com muita diversidade, arte e cultura.

IMG_1410

Nossa missão foi fazer uma apresentação inspiradora para os presentes no lançamento do programa BICI – Bloomberg Initiative for Cycling Infrastructure, em uma sessão intitulada “If you build they will bike • Infrastructure can change cities.” | “Se você construir, eles vão andar de bicicleta • A infraestrutura pode mudar as cidades.” convencendo o público a investir na mobilidade por bicicletas, como superar barreiras e como transformar ruas ao redor do mundo em lugares seguros, saudáveis e justos para todos. E ainda apresentar o que é possível quando a vontade política é combinada com o desejo de expandir a rede de bicicletas de uma cidade, para alcançar objetivos mais amplos. O BICI é um programa de financiamento competitivo que visa promover mudanças catalíticas na infraestrutura de ciclismo urbano em todo o mundo. Saiba mais clicando na imagem abaixo, ou usando o QR code.

BICI

Participar foi uma experiência única para aprender, compartilhar conhecimento, fazer novos contatos e mostrar as possibilidades que a bicicleta apresenta para lidar com os desafios das Cidades do Século XXI. A apresentação foi muito bem recebida e nos deixou com a sensação de missão cumprida! Agradecemos o convite, a oportunidade e seguimos promovendo as bicicletas em busca de Cidades melhores e mais justas para todos.

IMG_1264

Conclusão: As pessoas chave para mudanças concretas e eficientes, vem das cidades, com atuações locais, Prefeitos, Cidadãos e Sociedade Civil Organizada.

Cidades Brasileiras presentes: Rio de Janeiro – RJ, Fortaleza – CE, Maceió – AL e Novo Hamburgo – RS.

Prêmio Promovendo a Mobilidade por Bicicleta no Brasil | Resultados

#P2

Em sua nona edição, o prêmio “Promovendo a Mobilidade por Bicicleta” novamente selecionou as melhores iniciativas brasileiras em prol das bicicletas. Boas ideias merecem e precisam ser reconhecidas e homenageadas.

Conheça os vencedores:

Vencedora Categoria Ação Educativa e de Sensibilização:

Biciconexão
Pedala Manaus – Manaus – AM

#AE1b
Em plena pandemia do COVID 19, o movimento Pedala Manaus iniciou mais uma ação de promoção ao incentivo e uso da bicicleta na cidade de Manaus, chamada Biciconexão.
O aumento do número de pessoas desempregadas, a alta do consumo das famílias através de delivery que fez aumentar o número de pessoas fazendo entrega de bicicletas, o desaconselhamento das autoridades de saúde quanto ao uso do transporte coletivo e a crise econômica, fizeram surgir a necessidade das pessoas pensarem na bicicleta como alternativa de transporte e ferramenta de trabalho.
Conectados a esta realidade, o Pedala Manaus fez e faz a ponte entre quem tem uma bicicleta e não a usa com quem está precisando de uma para deslocamento ou trabalho. A divulgação para doação e a eleição da pessoa que necessita da bicicleta é feita integralmente de forma gratuita através das redes sociais. Uma vez recebida a doação, o movimento providencia a manutenção completa da bicicleta e leva até a pessoa que dela está precisando, também de forma gratuita. Essa conexão de pessoas têm tido reflexo imediato, uma vez que desenvolve o senso de solidariedade, motivando os doadores a pensar de forma mais colaborativa, além de auxiliar quem recebe, que passa a ter um meio de transporte e de auxílio na renda familiar.
Instagram.com/pedalamanaus

.

Menções Honrosas Categoria Ação Educativa e de Sensibilização:
Comunidades Escolares que Pedalam
Ciclocidade – São Paulo  – SP

#AE2
Por meio de ações articuladas junto a quatro escolas públicas (duas municipais e duas estaduais) próximas às estações Grajaú e Primavera Interlagos da CPTM (zona sul de São Paulo), o projeto Comunidades Escolares que Pedalam levou a discussão sobre mobilidade urbana e a prática da bicicleta para dentro do ambiente escolar. Mobilidade urbana e direito à cidade são temas que afetam diretamente a vida de todos, com amplas possibilidades de conexão tanto com assuntos curriculares de diversas disciplinas quanto com as experiências pessoais de alunos e professores. A bicicleta oferece enorme potencial como ferramenta didática, podendo ser um instrumento para se colocar em prática diversos aspectos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Mesmo diante das contingências impostas pela pandemia no funcionamento das escolas, foi possível envolver diretamente mais de quinhentas pessoas.
Vídeo sobre o projeto clicando aqui.

.

Vermelhinhas” – As Bicicletas Compartilhadas Tarifa Zero
Autarquia Empresa Pública de Transportes – Maricá – RJ

#AE3
O Projeto “Bike Vermelhinha” se iniciou em Março de 2021 e o resultado foi além das expectativas!!!! Chegou para incentivar o uso do transporte sustentável, proporcionar lazer a todas as pessoas e contribuir com a mobilidade urbana ativa de Maricá. O sucesso do projeto Tarifa Zero é aparente, tem a cada dia incentivado mais pessoas, sejam elas de Maricá ou turistas, e é um grande motivo de orgulho para todos!
www.eptmarica.rj.gov.br

.

Vencedor Categoria Levantamento de Dados e Pesquisas:
Por que gostamos de andar de bicicleta?
Laboratório de Neurobiologia e Ritmicidade Biológica-UFRN  – NATAL – RN

#LD1
Este projeto originou a partir das evidências do uso da bicicleta como um instrumento terapêutico para os pacientes com Doença de Parkinson. Estamos também estudando os processos funcionais ao longo do aprendizado do andar de bicicleta. Os nossos resultados estão contribuindo com o desenvolvimento de novas estratégias de uso da bicicleta como um instrumento mais eficiente no tratamento da redução dos sintomas motores e não motores dos pacientes com Parkinson bem como subsídios para o fortalecimento da mobilidade ativa por bicicleta.
Saiba mais clicando aqui.

.

Menções Honrosas Categoria Levantamento de Dados e Pesquisas:
Índice de avaliação da qualidade de infraestruturas cicloviárias (QualICiclo)
Diogo Gomes Pereira Batista – João Pessoa – PB

#LD2
O Índice de avaliação da qualidade de infraestruturas cicloviárias ou QualiCiclo foi desenvolvido com o objetivo de avaliar as condições de acessibilidade cicloviária de espaços dedicados ao ciclista, como ciclovias e ciclofaixas. O método possui uma série de indicadores e critérios de análise sobre a cicloestrutura, a sinalização, o ambiente e a segurança, contribuindo com a geração de dados para mapeamento e diagnósticos do transporte por bicicleta. Assim, reflete-se a importância da pesquisa através de um instrumento prático de auxílio ao planejamento cicloviário, como forma de melhorar as condições de uso da bicicleta no contexto brasileiro.
Saiba mais clicando aqui.

.

Texto para discussão – Melhores práticas em bicicletários – São Paulo
Ciclocidade – São Paulo  – SP

#LD3
O Texto para discussão – Melhores práticas em bicicletários – São Paulo é de uma extensa pesquisa voltada para entender as melhores práticas em bicicletários associados a estações/terminais de transporte público em São Paulo, levantando aspectos legais, entrevistas com operadores sobre desafios e histórico de implantação, levantamento de locais que têm ou precisam ter este tipo de equipamento e dados históricos de uso do sistema. A partir do estudo, a licitação para a concessão dos terminais de ônibus urbanos da capital paulista, um edital de porte de R$ 6 bilhões, foi alterada para estabelecer um cronograma de adequação das áreas de estacionamento existentes sem zeladoria para que se tornassem bicicletários com zeladoria, bem como ampliar alguns existentes, garantindo seu uso gratuito pela população pelos próximos 30 anos.
Acesse a publicação clicando aqui.

.

Vencedor Categoria Empreendedorismo:
Rolé no Coração do Recife
La Ursa Tours – Recife – PE

#Emp1
O nosso roteiro audioguiado Rolé No Coração do Recife, nasceu como uma provocação no meio do cenário pandêmico que passamos. A ideia era que as pessoas não deixassem de pedalar como uma forma de relaxar e conhecer mais a cidade onde vivem. Serve tanto para as pessoas recifenses como também para quem vem de fora e quer conhecer a nossa região central, tão cheia de vida, cultura e gastronomia singulares.
Agradecemos imensamente a todas e todos que apostaram e nos ajudaram nessa pedalada!
laursatours.com

.

Menções Honrosas Categoria Empreendedorismo:
PIOLA bolsas cariocas
PIOLA – Rio de Janeiro – RJ

#Emp2B
Somos uma marca carioca de bolsas e acessórios para ciclismo, desenvolvidos e costurados por mulheres no Rio de Janeiro. Pensamos os produtos como parte de um ciclo: conceito, matéria prima, produção e distribuição, uso, conserto… Queremos melhorar a qualidade de vida dos usuários mas também de todos os envolvidos, desde quem produz o tecido até quem transporta as bolsas dos ateliês até o estúdio. Priorizamos o uso de matéria prima nacional, trabalhamos respeitando os princípios do comércio justo, e temos uma política de lixo zero. Nossas bolsas e acessórios, desenvolvidas por nós mesmas na nossa oficina carioca, são resistentes, impermeáveis, funcionais, leves e bem coloridas.
olapiola.com.br

.

Bicicleta de Bambú
Velobambu – Rio de Janeiro – RJ

#Emp3b

A Velobambu, que teve seu berço no meio da pandemia de Covid, nasceu como um empreendimento de produção e desing de quadros de bicicletas de bambu. Sendo composta por dois amigos e ciclistas urbanos que somados tem mais de 30 anos de experiência sobre a bicicleta. Buscamos ser, não somente uma referência nesse mercado, mas também uma empresa que fomente, apoie e incentive a mobilidade urbana através do uso da bicicleta como meio de vida. Estamos desenvolvendo outros produtos feitos de bambu como, guidão, bagageiro, paralamas, perna-de-pau e banco de monociclo, entre outras ideias que forem surgindo durante a jornada. A Velobambu nasceu com a junção do que julgamos fundamental para uma cidade mais justa e equilibrada: respeito, direito à cidade, consciência ambiental. Fica aqui esse convite aberto a conhecer nossos produtos e propósito.
Instagram.com/velobambu.

Nesta edição foram 44 inscrições nas 3 categorias, ficando atrás apenas da VII edição em  2020, mais uma vez, com destaque para a categoria Ação Educativa e de Sensibilização que teve recorde de inscrições, equivalentes a 64% dos inscritos. Destaque para as regiões sudeste que enviou 48% e Nordeste  25% das inscrições. Abaixo alguns dados sobre as inscrições.

#ab

Agradecemos pelo envio dos projetos e parabenizamos pelas iniciativas. Esse ano a disputa foi bastante acirrada nas categorias Ação Educativa e Empreendedorismo, onde a diferença entre prêmio e menção honrosa foi de apenas um ponto!

Agradecemos também ao comitê de avaliação e ao Itaú Unibanco, que torna possível a realização do Prêmio Promovendo a Mobilidade por Bicicleta no Brasil.
Aproveitamos a oportunidade para anunciar a inclusão da categoria Políticas Públicas, no próximo ano. 🙂

Para saber mais sobre o Prêmio e suas edições e premiações anteriores, clique aqui.

Distrito de Baixa Emissão Rio & SCAP Cargo Bikes

DBER-(3)

Foi lançado oficialmente hoje, o Distrito de Baixa Emissão de Carbono – DBE, coordenado pela Secretaria de Fazenda e Planejamento, através do Escritório de Planejamento – EPL, da SUBPAR. Este projeto é transversal e integra diferentes secretarias e parceiros externos, dentre eles a Transporte Ativo, na busca de um modelo de desenvolvimento de baixo carbono! Está alinhado ao Acordo de Paris e à agenda de desenvolvimento sustentável da ONU, os ODS.

DBER-(2)

O DBE é uma das ações prioritárias do Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática e do Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro. Dentre as atividades que compõem o DBE, está o projeto SCAP Cargo Bikes, uma parceria da European Cyclists Federation com a Transporte Ativo e o Escritório de Planejamento, com patrocínio da FEDEX. O Projeto, apelidado de Bicicletas de Carga para um ar mais limpo no Rio, já contou com workshops online para servidores e a doação de 7 bicicletas cargueiras para COMLURB, Conservação e Parques e Jardins, para experimentação delas no cotidiano de serviços municipais em unidades destes órgãos que atuam dentro e fora da área do distrito.

DBER-(4)

Com uma equipe dedicada e motivada, formada pelos diferentes setores envolvidos, o projeto agora segue em frente, em 35 mil metros quadrados, que incluirão ciclovias, arborização, novas áreas de pedestres e ações de engajamento e participação cidadã. A primeira etapa é prevista para ser concluída até 2024 e a implementação completa até 2030. Que este projeto sirva de exemplo para outras regiões da cidade, outras cidades brasileiras e além!

DBER-(1)