E as contagens de ciclistas seguem nos alimentando com dados!

nit7

Em agosto, completamos as 10 contagens realizadas em parceria com ITDP Brasil, Labmob e a CET-Rio, e ainda realizamos mais uma em parceria com a Tembici. Esse dados irão alimentar alguns projetos cicloviários em andamento na Prefeitura do Rio.

NIt3

Pelo sétimo ano consecutivo nosso contador automático de ciclistas foi para Niterói, para em parceria com o Programa Niterói de Bicicleta seguir com a série histórica de contagens. Isso propicia uma excelente leitura da movimentação dos ciclistas locais e mostra a importância das ciclovias e ciclofaixas neste processo.

NIt21

Na terça-feira, dia 10 de agosto, contagens aconteciam simultaneamente na Av. Chile no Centro do Rio e na Av. Roberto Silveira, no bairro de Icaraí em Niterói, ambas com 12 horas de duração (7 às 19 hs).

NIt21b

Temos mais uma contagem agendada para setembro, os números já coletados ainda estão sendo analisados e, quando somados aos da próxima contagem, nos trarão muitos dados e novidades para apresentar e ajudar a compreender nossos ciclistas!

niT5

 

Inspirar nos Motiva II + Fase de Campo Perfil Ciclista 21

Cada vez que vemos iniciativas da TA inspirando iniciativas semelhantes, sendo reaplicadas, seja usando uma metodologia na íntegra, adaptada à realidade local, ou sendo utilizadas em estudos, guias ou manuais, mais motivados ficamos para seguir adiante.

Insp1A

Recentemente, as vésperas da fase de Campo da Pesquisa Perfil Ciclista 2021 brasileira, temos a grata notícia de que a Cidade de Villavicencio na Colombia, já foi à campo este ano e já finalizou sua Pesquisa Perfil Ciclista 21. Alias o fizeram também em 2019, fazendo edições bienais, ao invés de treinais, como as nossas.

Insp2A

Tomamos conhecimento também, de que o caderno Mobilidade por Bicicletas, da coleção Mobilidade Urbana de Baixo Carbono, do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento e do Ministério de Desenvolvimento Regional, utilizou dados da Pesquisa Perfil Ciclista 2018 no capítulo “Contexto da mobilidade por bicicletas no Brasil”. O que nos deixa muito felizes, uma vez que nosso principal objetivo ao coletar dados é torná-los conhecidos, para que possam alimentar estudos, projetos e soluções que promovam o uso de bicicletas.

Insp3A

Conhecer esses desdobramentos às vésperas da fase de campo, que aliás já se iniciou em diversas cidades, como Campinas, Petrópolis e Mogi das Cruzes, nos dá certeza da importância deste projeto e seu alcance. Já em sua terceira edição, sempre em parceria com Labmob, Observatório das Metrópoles, patrocínio do Banco Itaú e parcerias e engajamento de diversas cidades que se voluntariam para a coleta de dados locais, como Organizações da Sociedade Civil, Universidades e Governos, seguiremos em busca de dados que ajudem a compreender melhor a realidade das bicicletas em nosso país, para que se possa planejar baseado em dados. Fevereiro 2022, é a previsão de publicação dos dados coletados, enquanto isso, os dados das duas edições anteriores em 2015 e 2018,  e mais informações sobre a pesquisa podem ser encontrados aqui. Boa leitura!

PS.: Existem também, quem use a metodologia ou tem ela como base, apresentam o processo, mas sequer citam a origem 😉
Isso também nos motiva!

Bicicletas no Plano Estratégico do Rio de Janeiro

participa

O Plano Estratégico da Cidade, do qual participamos através do Conselho da Cidade, foi apresentado recentemente. Nem sempre é oferecido à Sociedade Civil participar das decisões que direcionam o possível futuro de nossas cidades, mas dessa vez, foi possível aos cariocas dar sua contribuição através do Participa.Rio.

As bicicletas estão lá, presentes e com boas perspectivas até 2024. Veja abaixo a Meta nº20 do tema transversal Longevidade, Bem-Estar e Território Conectado.
meta20Para chegar neste número, foram levantadas as distâncias necessárias para fazer as conexões entre as infraestruturas existentes e levá-las até os terminais de transporte público. Ou seja, são 485 km de novas infraestruturas, praticamente dobrando a malha cicloviária atual. Mas, para que funcione de verdade e esse número seja real, será necessária uma revitalização / manutenção de toda a malha existente, que conta com alguns pontos muito mal tratados e com outros que simplesmente desapareceram, após algumas obras e falta de manutenção preventiva.

Conheça o Livreto de Apresentação do Plano Estratégico da Cidade, e veja como foi todo o processo e algumas de suas diretrizes.
Abaixo o Mapa Cicloviário Carioca, clique na imagem para visitar.

mapaarcgis

Vai Longe – Conheça os premiados

a

O Programa de Aceleração Vai Longe da Tembici já tem o resultado dos projetos selecionados que, de acordo com as necessidades apresentadas, dividirão o prêmio de R$50.000,00 (cinquenta mil reais) para implementações e execuções, até o final deste ano.

Ao todo, foram inscritos 40 projetos, a etapa de avaliação contou com a análise de um comitê de especialistas da Tembici e da Transporte Ativo, que selecionaram 10 finalistas para uma análise mais ampla.

As organizações selecionadas foram: Bike Favela – Oficina de ciclocidadania; Bike Anjas Multiplicadoras – Formação virtual para mulheres; Roteiro Digital – Autoguiado da La Ursa Tours.

Conheça um pouco de cada iniciativa:

VLK (1)Bike Favela • “O BikeFavela é um projeto que busca oferecer condições que favoreçam as mulheres, a comunidade LGBTQIA+ e as pessoas com mais de 50 anos a pedalar de forma empoderada. Esse empoderamento é composto pela compreensão crítica da nossa realidade urbana e dos deslocamentos urbanos, das regras, riscos e limitações dos meios de transporte nas cidades, e, sobretudo, das possibilidades e potencialidades da ciclomobilidade urbana. O projeto vem sendo realizado na Favela da Vila Prudente (São Paulo/SP) desde setembro de 2020, mobilizando diretamente mais de 40 pessoas ao longo de 16 oficinas. Os ciclos de formação contam com 3 encontros, que envolvem a exposição de informações técnicas de forma conectada com a prática do uso da bike na cidade. As parcerias permitem que o curso seja oferecido de forma gratuita para a comunidade: além da monitoria, disponibiliza-se o empréstimo de bicicletas e as passagens de metrô para as aulas de integração. A formação começa pelo entorno da favela, passa pelo território, e logo expande os horizontes por meio da integração da bicicleta com o metrô. Nessa nova fase, o projeto terá, também, a adição de uma oficina voltada para o uso das bicicletas compartilhadas. A iniciativa é realizada em colaboração com o Movimento de Defesa do Favelado e a Pastoral da Igreja São José Operário. O projeto é implementado pela Ana Paula de Lima e a Diana Santos, empreendedoras sociais e ativistas engajadas que residem no território, e pelo Lucas Bravo Rosin, empreendedor social que dá suporte na construção e consolidação da iniciativa.”

VLK (2)Bike Anjas Multiplicadoras • O projeto Bike Anjas Multiplicadoras tem como objetivo disseminar conhecimento e boas práticas sobre bicicleta e autonomia de mulheres abordando temas como: pedalar de forma segura na cidade, conforto, mecânica básica e legislação (Código de Trânsito Brasileiro). Vamos estimular mulheres a usarem a bicicleta como meio de transporte por meio de uma cartilha virtual construída coletivamente pelas Bike Anjas do Brasil e realizaremos encontros virtuais para abordar os temas da cartilha. As participantes serão convidadas a se tornarem voluntárias multiplicadoras do aprendizado com o intuito de transformar a vida de mais mulheres, tudo de forma virtual para mulheres de diversas regiões do país.

VLK (3)Roteiro Digital – La Ursa Tours • O Roteiro Digital/Autoguiado da La Ursa Tours pretende oferecer alternativas de roteiros, feitos por bicicletas, que não dependam da presença de um condutor para acontecer. A ideia é dar a opção para as pessoas saírem de casa e praticar uma atividade física (reduzindo o sedentarismo e melhorando a qualidade de vida) de forma barata, segura, educativa e lúdica.

Mais uma ótima parceria com a Tembici, esperamos que o resultado alavanque os projetos premiados e que estes alcancem seus objetivos, para que cada vez mais pessoas usem mais bicicletas, mais vezes 🙂

Vai Longe – Programa de Aceleração de Projetos

vailonge

Neste Dia Mundial da Bicicleta, em parceria com a Tembici, orgulhosamente  lançamos oficialmente o Programa de Aceleração de projetos Vai Longe!

A iniciativa visa apoiar projetos que fomentem o uso da bicicleta como meio de transporte por meio de soluções inovadoras que contribuam para a mobilidade no Brasil. Serão selecionados até 4 projetos, iniciados nos últimos 12 meses e com previsão para serem concluídos ainda em 2021, em  3 categorias: Educação e conscientização, Promoção ao uso de bicicletas e Estudos e Pesquisas. Conheça a programação completa, o regulamento e inscreva seus projetos.