Cegos pedalando, cadeirantes e muita história pra contar

Já imaginou uma pedalada com cegos, cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida? Foi isso que aconteceu na tarde de sábado, dia 13, no entorno do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

O evento, batizado de Mauá 360, contou com participação de aproximadamente 30 pessoas e a presença de um historiador especializado na região. Deslizando pelo Boulevard Olímpico, todos descobriram fatos e curiosidades sobre a região, famosa por seus prédios do período colonial que marcaram a história do nosso país.

Exclusivamente nessa postagem, estamos utilizando um recurso para descrição das imagens, a hashtag #pracegover,  que serve para mostrar o conteúdo das fotos para pessoas com deficiência visual.

E21

#pracegover – Imagem 1 – Grupo de pessoas reunidas para dar início à pedalada. O grupo já está pronto para começar o roteiro, com os participantes posicionados nas bicicletas e nas cadeiras de roda. Nesse momento, recebem orientações iniciais sobre a atividade

IMG_3429

#pracegover – Imagem 2 – Imagem final da atividade, com os participantes reunidos, com cadeiras de roda posicionadas à frente das bicicletas e o prédio do Museu Histórico Nacional ao fundo.

daee4

#pracegover – Imagem 3 – Foto com grupo de pessoas que conduziu a pedalada, a partir da esquerda temos o voluntário Rodrigo Souza, do projeto Pedala Junto, que conduziu a bicicleta tandem, ao lado do cego Álvaro, que foi seu companheiro na atividade. Seguido por Fábio Nazareth, representando os Pedalentos, que cedeu a bicicleta tandem para a atividade. Na sequência temos Zé Lobo e Erika Cordeiro, da Associação Transporte Ativo, que em parceria com o Museu do Amanhã, promoveram a pedalada. Fechando com Maurício, Tati e Mônica, Bike Anjos, que estavam com a bicicleta ODKV, sigla para o projeto “O de cá, vê” que usa duas bicicletas conectadas lateralmente, onde um condutor pedala ao lado de um deficiente visual.

Estiveram conosco nessa pedalada, funcionários e colaboradores do Museu do Amanhã, representantes do Kit Livre, Pedala Junto, Bike Anjo Rio e Pedalentos.

Mês da Mobilidade

DMSC18

Setembro, o Mês da Mobilidade, passou. Foram muitas atividades por todo o país, em busca de um trânsito mais humano e seguro e de uma mobilidade mais justa e segura. Ao longo deste mês, em que participamos de diversos eventos em diferentes cidades, foi muito gratificante ver atividades que iniciamos há mais de 10 anos atrás, como o Desafio Intermodal, Vaga Viva e Contagens de Tráfego de Bicicletas, sendo replicadas em diversas cidades do país, em busca de cidades melhores. Momentos como estes, muito nos motivam e nos levam a seguir adiante, sempre em busca de um futuro mais limpo e um trânsito mais seguro.

Conexão Rio-Medellín

Medellín e Rio de Janeiro, duas capitais localizadas a mais de 7 mil quilômetros de distância sob diferentes latitudes.

Agosto de 2018, nossa quinta visita a esta cidade que é símbolo de resiliência. Desta vez viemos a convite do coletivo Más Urbano, que assim como a Transporte Ativo, atua promovendo o uso da bicicleta como meio de transporte.

Mdlln1

O convite foi para participar de duas atividades de socialização e intercambio entre projetos e experiências. Um bate-papo realizado a céu aberto em espaço público ao lado de uma das principais estações de metrô da cidade. Outro realizado no terraço de um espaço de co-working com a participação de representantes instituições públicas e coletivos que trabalham com o tema.

Mdlln2

Foram dois momentos onde tivemos a oportunidade de conhecer mais sobre a cidade seus projetos e processos e contar um pouco sobre o que acontece no Rio e como atuamos frente a promoção do uso da bicicleta como meio de transporte. Entre tantos temas abordados, a Pesquisa Perfil Ciclista foi um dos destaques no segundo bate-papo realizado em Medellín.

E como irem além das metas previamente estabelecidas também é nossa meta, propusemos uma intervenção na rua, para que com a participação dos ciclistas da cidade, ajudássemos a pensar conjuntamente uma solução de infraestrutura cicloviária para um cruzamento que é um dos principais pontos críticos da região metropolitana. Inspirados na metodologia do Ciclo Rotas Centro, levamos mapas para a rua, para que os ciclistas que circulam por esse ponto pudessem opinar sobre o tipo de solução que lhes parecia mais adequado. Além da interação através dos mapas, realizamos um exercício de contagem e filmamos a ação.

mdlln4

Das semelhanças entre as cidades podemos dizer que o fato de que as políticas de promoção do uso da bicicleta em ambas as cidades estar ligado as questões ambientais, é a principal. No Rio as ciclovias surgem junto com a Eco 92 e avançam dentro da Secretaria de Meio Ambiente, em Medellín a crise gerada pelo ar altamente contaminado impulsiona o sistema de bicicletas públicas e infraestrutura ciclista da cidade.

Duas capitais Latino-americanas cheias de contradições e que, com suas diferentes características, são muito favoráveis aos deslocamentos em bicicletas.

Conexão Transporte Ativo – Más Urbano. O que nos conecta? O desejo de promover e construir cidades mais ciclaveis, justas e equitativas em relação ao uso do espaço público.

Por mais pessoas, em mais bicicletas, mais vezes!

América Latina e os Sistemas de Bicicletas Públicas

ELASBPC-1024x768Depois do encontro realizado em Medellín em outubro de 2016 e de 2 oficinas realizadas na Cidade do México e em Rosario na Argentina, foi a vez do Rio de Janeiro, receber mais uma atividade internacional sobre Sistemas de Bicicletas Públicas e Compartilhadas.ELABPC_marca_2

A Transporte Ativo realizou, nos dias 9 e 10 de junho de 2018, o quarto Encontro Latino-americano de Sistemas de bicicletas Públicas e Compartilhadas. O evento aconteceu no Galpão de operações do Sistema Bike Rio e contou com a participação de 90 pessoas das Américas do Sul e Norte, Europa e Africa. Entre representantes do poder público, sociedade civil, ONG´s e empresas privadas.

Tembici 2

Durante os dois dias de evento foram debatidas inovações e tendências dos sistemas a nível mundial, campanhas, níveis de serviço, sistemas dockless, uso de dados e troca de tecnologia além apresentados casos de sistemas brasileiros e latinos.

O evento também foi marcado pela apresentação da Plataforma LatinoSBP.org . Projeto da Transporte Ativo, que também com o patrocínio do Banco Itaú.

Painel de Encerramento e lançamento da Plataforma LatinoSBP.org com a participação de representantes da PEBSS e NACTO.

Painel de Encerramento e apresentação da Plataforma LatinoSBP.org com a participação de representantes da PEBSS e NACTO.

Esses espaços vêm gerando inquietudes e necessidades por novos encontros com acúmulo de conteúdo e envolvimento de novos atores estratégicos ao tema. Em 2019 o encontro será em Guadalajara, no México.

Junho é o mês da bicicleta no Rio e do Velo-city 2018

VC18RioB

Faltam poucos dias para o início da Conferência Velo-city 2018 Rio. O mês de junho já se inicia respirando bicicletas com os preparativos, logo na primeira semana do mês as atividades ja se iniciam, com diversos eventos paralelos, esquentando a cidade para a Conferência.

O programa está pronto, repleto de excelentes iniciativas e participantes dos cinco continentes que estarão presentes mostrando o que fazem pelas bicicletas em suas cidades. Muitos daqueles que decidem o futuro do planeta e das cidades estarão por aqui também, organizações como UITP, UN Habitat, C40 Cities, World Bank, CAF, OECD, WHO, UCI dentre outras, além de Prefeitos e Ministros de diferentes cidades e países, com diferentes níveis de uso da bicicleta, como Copenhague na Dinamarca, Bruxelas na Bélgica e Quelimane em Moçambique que nos mostrarão o que vem funcionando para a promoção efetiva das bicicletas no dia a dia de suas cidades. Com muito conteúdo latino americano, o programa se apresenta bem diverso e abrangente, buscando descrever o tema do evento Acesso à Vida e seus subtemas; Aprenda a Viver, Integrando a Vida ao Transporte, Uma Economia Viva e Felicidade e Qualidade de Vida.

Conheça os palestrantes das plenárias e assuntos que serão expostos e debatidos como Inclusão Social, Tecnologia, Gênero, Cicloturismo, Logística, Saúde, em painéis com abordagens interesantes como “High Tech vs Low Tech” que abordará resultados vindos tantos de “Big Data”, quanto de ações totalmente analógicas, com resultados semelhantes ou mesmo o painel TOD vs HOD, o que funciona melhor, o TOD desenvolvimento orientado pelo transporte ou HOD desenvovlimento orientado pela felicidade. Um verdadeiro mundo sobre as bicicletas se descortinará para interessados no assunto, mas principalmente para muitos técnicos de muitas cidades brasileiras que já confirmaram presença. Que a Conferência seja um marco no amadurecimento da mobilidade por bicicletas em nosso país.

As vagas são limitadas, faça já sua inscrição e garanta o seu lugar! Ano que vem, só em Dublin na Irlanda, vamos aproveitar essa oportunidade única de em casa nos aprofundarmos no conhecimento deste tema que a cada dia se mostra mais importante para as mudanças que o Século XXI necessita. Nos vemos no Rio!

.