Encruzilhada Urbana

[photopress:SDC11322.JPG,resized,centered]

Foto André Pasqualini.

Um acostamento a beira da Marginal Pinheiros acabou gerando grande repercussão e um debate dentro da esfera municipal e entre os cicloativistas. A discussão foi além da transformação de uma faixa de acostamento da via expressa em faixa de rolamento.

Vias expressas são locais inadequados para o compartilhamento entre ciclistas e o restante do tráfego, mas para os “apocalípticos” o acostamento acabava sendo o único caminho. E como tem sido notório, o número de ciclistas que pedalam “apesar de qualquer condição desfavorável” tem aumentado constamente em São Paulo.

A evidência da presença crescente das bicicletas nas ruas e a notória imobilidade urbana que acomete São Paulo aos poucos colocam a cidade diante de uma escolha que remete a mesma encruzilhada macroeconomica mundial. Qual o tipo de desenvolvimento que podemos e queremos ter?

Economicamente o automóvel a a indústria automobilística tiveram um importante papel para a geração de riqueza para o Brasil e principalmente para a região metropolitana de São Paulo. Hoje o mesmo dinheiro que fez e faz girar a economia na cidade é responsável pelos congestionamentos que imobilizam a população, independente do meio de transporte escolhido.

Bogotá nos provou que mais do que dinheiro, o desenvolvimento urbano precisa de vontade política para traçar seus rumos. São Paulo e seus administradores precisam decidir se seguem rumo a promoção da qualidade de vida e da mobilidade sustentável ou se irá continuar a ser privilegiada a “Velha Mobilidade” e os efeitos negativos que conhecemos.

Saiba Mais:
Carta Aberta aos Secretários de Transporte e Meio Ambiente da cidade de São Paulo.

Um comentário em: “Encruzilhada Urbana

  1. Ter uma bike como meio de transporte nas grandes cidades é com certeza um grande benefício para a melhorar do ar da cidade, como benefício para a nossa saúde. Mas, a cada dia nos barramos com as dificuldades e os perigos de transitar pelas ruas, por causa dessa dificuldade e o desrespeito de condutores de veículos motorizados, usar a bicicleta como meio de transporte para muitos ainda é motivo de reflexão, espero que haja alguma política séria, valorizando os nossos direito de poder transitar na cidade sem nenhum risco a vida.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *