Minha cidade, minha casa

7

Aglomerar pessoas em espaços limitados, sem qualquer tipo de problema ou conflito, é um enorme desafio. Desde que a
humanidade deixou o modo de vida errante, para viver em comunidades com
residências fixas, a percepção de que o coletivo precisa funcionar para manter a qualidade da vida privada foi afetada.  Hoje, a maior parte
da população mundial vive em ambientes urbanos e muitos se tornaram
grandes, imensos. A vida nas cidades tem um ritmo muitas vezes frenético e, nesse contexto, questões do cotidiano, que poderiam ser facilmente resolvidas, vão se acumulando e causando transtorno a toda população. Como a remoção de um poste de sinalização de uma calçada, que aparentemente pode ser algo irrelevante, mas que se não for feita com a devida atenção, pode deixar resíduos ou pedaços de estrutura, capazes de causar ferimentos graves a quem passar distraído pelo local.

0

1

2

3

As administrações municipais usam impostos e outras fontes de recursos para prover os cidadãos as condições de vida nas cidades. Claro que é tarefa muito complicada, mas mesmo assim isso não exime prefeituras de responsabilidades e justas cobranças por cumprir seu papel. E mesmo quando executam as obras, consertos e manutenção preventiva  necessárias muitas falhas acontecem. A maioria dos cidadãos que identifica uma dessas falhas costuma reclamar para os outros ou nem isso, raramente para a prefeitura, mas de um modo geral a idéia é de que alguém é pago para manter a cidade em ordem. Sim, é verdade e como as ruas podem (e deveriam) ser entendidas como uma extensão de nossas casas cabe também uma ação individual ou coletiva para cuidar desse espaço público que não tem um dono, mas tem usuários.

4

5

16

Claro que graves problemas como o rompimento de uma tubulação de água/esgoto, vazamento de gás, afundamento de calçada estão distantes da ação popular, mas um pequeno conserto pode ajudar muitos a custo zero e sem gastar tanto tempo. E de fato nos aproxima da rua como espaço público de uso coletivo, ajudando a perceber o seu valor para si e para os outros. Quem ama cuida e isso não significa tomar para si a responsabilidade da prefeitura, mas ajudar ao próximo participando da cidade mais como um protagonista que como um coadjuvante. O espaço público é de todos mas ninguém é proprietário.

8

Sabe lá quantas pessoas já se machucaram nessa ponta de poste exposta ou quantas deixaram de se machucar depois que foi rapidamente amassada com uma simples marreta? Muitas ou poucas não importa. O que importa é que a cidade é nossa e podemos cuidar dela como se fôssemos seus donos legítimos.

Entrega do Prêmio A Promoção da Mobilidade por Bicicletas no Brasil 2017

PTA

Este ano a entrega do Prêmio Promovendo a Mobilidade por Bicicletas no Brasil, aconteceu no pavilhão Expo 2 do Velo-City 2017 na cidade de Nijmegen na Holanda. Daniel Valença, representando a organização da sociedade civil Ameciclo de Recife-PE e Rafael Darrouy, representando a empresa Pedivela de Vitória-ES, receberam os troféus, feitos de madeira de demolição reutilizada, no stand do Rio de Janeiro, sede da próxima edição do Velo-City em 2018, numa festa regada à Champagne do estande da ECF – European Cyclits Federation, vizinho ao nosso que também comemorava resultados.

pta2

O clima de festa entre os brasileiros, contagiou todo o ambiente e o calor de mais de 30 graus centígrados, deram aos presentes uma pequena prévia do ambiente que teremos no Rio em 2018, quando mais uma vez premiaremos as melhores iniciativas de promoção ao uso de bicicletas no Brasil.

Promovendo a Mobilidade por Bicicletas

prmo-Bici

Pessoas e grupos que estão Promovendo a Mobilidade por Bicicletas no Brasil se inscreveram para o Prêmio e os que mais se destacaram nesta edição já foram definidos! Atividades de diferentes formatos, objetivos e resultados participaram, um número crescente de Ações Educativas e de Sensibilização, um amadurecimento e crescimento das inscrições na categoria empreendedorismo e infelizmente um número insuficiente de Levantamento de Dados à Pesquisas para validar a categoria. Mas o brilho dos inscritos, fez desta a mais interessante das edições do Prêmio Promoção da Mobilidade por Bicicletas no Brasil. Foram um vencedor e duas menções honrosas por categoria e os vencedores irão ao Velo-City 2017, com todas as despesas pagas, essa premiação visa qualificar ainda mais os projetos premiados, buscando com a experiência Holandesa, nos ajudar na busca por um país com cidades mais amigas das bicicletas.

A qualidade da comissão julgadora, nos garantiu a certeza de que os trabalhos foram bem avaliados e que a escolha foi certeira! Os trabalhos vencedores se destacaram quase que por unanimidade o que os afere como reais merecedores da premiação. Vamos a eles!

Vencedor Categoria Ação Educativa e de Sensibilização:
AMECICLO – Bota pra Rodar
pta17a
Projeto que objetiva promover o direito à cidades sustentáveis para a população de baixa renda através do uso de bicicletas enquanto ferramenta de mobilidade urbana e integração social. Através da doação de bicicletas para o uso coletivo em comunidades, busca a emancipação dessas pessoas no tocante à mobilidade, possibilitando à elas o acesso à cidade. Conheça mais sobre o Bota pra Rodar clicando aqui.
pta17b

Menções Honrosas Categoria Ação Educativa e de Sensibilização:
La Frida – Preta, vem de Bike!

pta17cCapa da última edição da revista Bicicleta, o projeto “Preta, vem de bike!” é uma ação do La Frida (cicloativismo negro) que une promoção da bicicleta com inclusão social, igualdade étnica e igualdade de gênero, visa levar a mobilidade urbana, além da orla, às periferias. São aulas de bike móvel para meninas da periferia, estimulando a representatividade feminina na mobilidade urbana, ampliando as vozes das mulheres negras e ocupando espaços sendo a bike um instrumento de empoderamento na sociedade. Conheça mais sobre a Preta, vem de bike! cilcando aqui.

Fórum de Bicicletas Manaus
pta17dO Fórum de Bicicleta Manaus,que acontece anualmente à cinco anos, é um espaço de discussão com a temática Mobilidade por Bicicleta que tem como objetivo promover o debate sobre como a cidade pode evoluir a partir de políticas voltadas para a valorização da vida, tornando-a mais sustentável e amiga das pessoas através da bicicleta. Conheça mais sobre o Fórum de Bicicletas Manaus clicando aqui.

Vencedor Categoria Empreendedorismo:
Pedivela – Logística Last Mile
pta17e
A Pedivela resolve o caos do último quilômetro logístico nas cidades por meio de sua rede de ciclistas autônomos e inteligência artificial, utilizando bicicletas cargueiras especiais, humanizando o trânsito e distribuindo a maior parte dos ganhos em sua rede. O projeto já roda há 2 anos na cidade de Vitória-ES e já intermediou e otimizou mais de 200 mil entregas entre e-commerce e ciclistas autônomos, retirando aproximadamente 20 veículos de carga por dia das ruas da cidade. Conheça mais sobre a Pedivela clicando aqui.
pta17f

Menções Honrosas Categoria Empreendedorismo:
Mobilibike
pta17g
O Mobilibike se propõe a inserir cada vez mais a bicicleta no cenário de entregas rápidas em meio urbano. Gerando renda para ciclistas, de forma simples e confiável. O sistema Mobilibike faz a ligação entre empresas/pessoas com necessidades de entregas e bikers que desejam obter renda extra pedalando. Conheça mais sobre o Mobilibike clicando aqui.

Bike123
pta17h
Usar uma bicicleta de qualidade, bem ajustada e com a manutenção em dia é essencial para que atividade de pedalar seja incorporada ao dia a dia de uma pessoa. Um dos principais problemas do ciclista é levar a bicicleta danificada até uma oficina que possa fazer o reparo. Muitas pessoas acabam deixando de pedalar por encontrarem essas dificuldades e muitas outras continuam a usar a bicicleta com problemas, o Bike 123 soluciona este problema. Conheça mais sobre o Bike 123 clicando aqui.

Para os vencedores, o Prêmio será entregue no stand do Rio de Janeiro, durante o Velo-City em Arnehm – Nijmegen, na Holanda em junho, para as menções honrosas, os prêmios serão  entregues  por correio, em casa.