Bicilogística na pandemia do novo coronavírus

IMG_8691

Em situações de calamidades como terremotos, tsunamis e outras catástrofes naturais, as bicicletas de carga são um modo de transporte muito eficiente na logística de distribuição de produtos. Em postagem recente, destacamos a importância delas durante o Tsunami de 2011 no Japão e no Terremoto de 2017 na Cidade do México. Nesse momento, diante da pandemia do novo corona vírus, elas estão pelas ruas girando forte para atender às demandas da população, como nas fotos acima e abaixo, carregada de álcool gel.

IMG_8676

Em 2015, a pesquisa “Contagem de Estabelecimentos Comerciais com Entregas por Bicicleta”, realizada no quilômetro quadrado mais denso de nove bairros do Rio, mapeou 7524 entregas por dia, sendo o bairro de Copacabana o que realiza mais entregas. Outra pesquisa de 2011 sobre o tema nos rendeu o Prêmio Cycling Visonary Awards e recentemente traduzimos quatro manuais da European Cycle Logistics Federation que tratam sobre diferentes aspectos das bicicletas de carga.

Além da eficiência nos deslocamentos urbanos, a bicicleta é um veículo que funciona com energia limpa, arroz e feijão, como costumamos dizer. Seu uso nas cidades colabora para que tenhamos menos poluição do ar e mais qualidade de vida para todas as pessoas. De acordo com um artigo publicado hoje no The New York Times, um estudo recente aponta uma relação entre o número de mortes com os níveis de poluição das cidades. Regiões com altos níveis de poluição antes da pandemia registraram um maior número de mortes em comparação com cidades onde o ar é mais limpo.

Esperamos que essa pandemia passe logo e que possamos estar novamente nas ruas, pedalando e usando a bicicleta cada vez mais. Vamos passar por tudo isso, sim vamos! Quem pedala sabe que a subida é árdua, difícil, mas depois a gente relaxa na descida. Fiquemos firmes e, por enquanto, quem puder, fique em casa.

Quarentena COVID19 com filmes de bicicleta

IMG7919

Com a colaboração do Edu Bernhardt, listamos mais de uma centena de filmes, com a temática da bicicleta. Dessa forma, teremos muitas opções de filmes sobre o tema para assistir durante a quarentena do COVID19.

Na lista abaixo, estão relacionados mais uma centena de filmes que tratam da cultura da bicicleta, tanto como tema principal ou em cenas onde a magrela tem destaque importante.

Escolha uma bebida para colocar na sua caneca, prepare uma pipoca, se arrume no sofá, faça uma busca pelo nome do filme e aperte o play.  Assistir ao filme fazendo uma manutenção básica na bicicleta também é uma boa pedida, fica a dica! 🙂

 

Filme Ano Nome original
127 horas 2010 127 Hours
A corrente do bem 2000 Pay It Forward
A Estranha Vida de Timothy Green 2012 Odd Life Of Timothy Green
A eleição
A herança de Mr Deeds
A fantástica fábrica de chocolate
A jogada certa
A mentira
A Onda 2016 Bolgen
Alta frequência
American Flyers
Antes só do que mal casado
Anjos da Lei
Apenas amigos
Aprovados
A pantera cor de rosa
As aparências enganam
As Bicicletas de Belleville 2003 Les Triplettes de Belleville
As férias do Mr. Bean
As melhores coisas da vida
Banquete do amor
Beleza Oculta 2016 Collateral Beauty
Bem vindo aos 40
BMX Bandits 1983 BMX Bandits
Boyhood: da infância à juventude
Butch Cassidy 1969 Butch Cassidy and the Sundance Kid
Chumbo grosso
Cinema Paradiso
Cirque ??? Aprendiz de Vampiro
Comer Rezar Amar
Conspiração Terrorista
Daydream Nation Daydream Nation
De mal a pior
De volta para o futuro 2
Deu a louca na chapeuzinho
Dois é bom, três é demais
Duro de matar 2
E.T. O extra terreste 1982 E.T. the Extra-Terrestrial
Férias frustradas 2
Férias no trailer
Flashdance
Força de um campeão
Free Willy 1993 Free Willy
Guerra é guerra
Grande Hotel Budapest
Homem de Aço 2013 Man of Steel
Homens brancos não sabem enterrar
Hotel Transilvânia 2
Impacto profundo
Irmão de espião
Isi & Ossi
J. Edgar
Jogo de amor em Las Vegas
Jumanji 1995 Jumanji
Kart nervoso 2020 Go Kart
Karate Kid (primeira versão) 1984 The Karate Kid
Katyn 2007 Katyn
Ladrões de bicicleta 1948
Lendas da Vida
Lixo extraordinário
Machuca
Malu de bicicleta 2011
Megamente
Me chame pelo meu nome
Meu malvado favorito 3
Meu pai, meu herói
Minha mãe é uma peça
Missão quase impossível 2010 The Spy Next Door
Monella – a travessa 1998 Frivolous Lola
Namorada de Aluguel
No olho do tornado 2014
O abutre
O amor pede passagem
O caminho das nuvens 2003
O dia da Independência
O escocês voador The Flying Scotsman
O filme da minha vida
O garoto da Bicicleta Le gamin au veló
O homem do sapato vermelho
O Invisível
O jogo da imitação
O Menino que descobriu o vento
O palhaço
O paraíso é logo aqui
O primeiro amor
O quinto poder
O solista
O sorriso da Monalisa
O virgem de 40 anos
Operação Big Hero
Os estagiários
Os Saltimbancos Trapalhões
Parada Inesperada
Pedalando com Moliére
Penetras bons de bico
Perigo por encomenda 2012 Premium RUSH
Pets
Polícia desmontada
Ponto de Colisão
Pronta para amar
Quando os anjos cantam
Quem vai ficar com Mary?
Quero ser grande
Quicksilver – o prazer de ganhar 1986 Quicksilver
Ratattouille
Ricky Bobby
Roubo nas Alturas
Segurança de shopping
Sem licença para dirigir
Sétimo
Shadow – Na escuridão
Sing – Quem canta seus males espanta
Smurfs 2
Tiras em apuros
Toc Toc
Tomb Raider
Tomorrowland
Totalmente sem rumo
Touro Ferdinando
Transformers
Transporter 2
Três desejos
Turma da Mônica: Laços 2019
Um natal muito muito louco
Um santo vizinho
Uma família quase perfeita
Uma noite no paraíso
Vem dançar
Yesterday Yesterday

Pedalando na chuva com segurança

167

Foto: Elena Landau

Pedalar na chuva é algo que vai acontecer cada vez mais, tanto por conta da crise climática que estamos enfrentando e também porque diante do caos motorizado nas cidades, é melhor chegar rápido e molhado do que passar horas ilhado dentro de um carro. 

Você vai encontrar na Internet diversas dicas sobre como pedalar na chuva. O portal Vá de Bike faz uma lista de 10 dicas sobre equipamentos e como se manter seco durante a pedalada. Aqui, gostaria de chamar atenção para algumas situações que precisamos ter em mente ao pedalar na chuva e que não estão basicamente relacionadas à bicicleta, mas ao seu entorno.

Durante chuvas fortes, é comum surgirem buracos perigosos em trechos que estamos acostumados a pedalar. Por isso, é extremamente importante aumentar o cuidado com as poças e áreas alagadas, elas podem esconder verdadeiras crateras que podem nos levar ao chão e causar sérias lesões.

Em dias secos, avistamos facilmente ralos e bueiros sem tampa, todavia, com as chuvas e o alagamento das ruas, algumas tampas se desprendem dos bueiros por ação da correnteza deixando o vão aberto, o que representa risco de queda. Evite pedalar muito próximo aos bordos da via, local onde geralmente esses ralos e bueiros estão posicionados.

Por conta dos pés molhados, o risco de escorregar e se ferir com as travas da coroa aumenta. Isso pode acontecer porque alguns tipos de calçados perdem o atrito com o pedal. Algumas bicicletas contam com protetor de corrente, mas as Mountain Bikes deixam a coroa livre e, em contato com a panturrilha, pode causar um corte profundo. Como as águas de enchentes estão carregadas de lixo, as chances de infecções aumentam potencialmente.

Fique atento à rede elétrica, observe os postes de iluminação e tente identificar se existem cabos partidos em contato com áreas alagadas. Evite encostar em postes e placas de sinalização próximas a eles. Redobre atenção em ruas que tiveram quedas de árvores. Ao cair, as árvores podem arrebentar cabos e deixar a região próxima a ela energizada.

Sistemas de freio podem sofrer falhas e reduzir drasticamente a capacidade de frenagem quando estão em contato constante com a água. Em alguns casos, podem parar de funcionar repentinamente. Em dias de chuva, devemos pedalar em baixa velocidade com atenção total às folhas caídas, galhos, sacos plásticos, e objetos que podem entrar na roda e interferir no funcionamento. 

De fato, não é pra ter medo de pedalar na chuva, como se diz por aí: “boralá pedalar na chuva pois a gente não é de açucar”. 

Dica extra para o pós chuva!TOP

Durante os dicas secos, o óleo derramado pelos caminhões e ônibus fica incrustado no asfalto, mas depois de um período constante de chuvas eles começam a escorrer deixando uma mancha colorida. Geralmente depois da chuva, esse óleo fica espalhado na via e isso representa um risco para derrapagens. Ao avistar a mancha, faça o possível para desviar e, se não for possível, reduza ao máximo a velocidade e mantenha o guidom firme sem movimentos bruscos. Jamais acione os freios ao passar por cima da mancha. Ao travar a roda sobre as manchas, as chances de derrapagem aumentam consideravelmente.

Dá pra levar quase tudo na bicicleta

IMG_3564

Tudo que é possível levar na bicicleta, a gente leva! Desde mudanças, compras de supermercado, material de construção, móveis e até pessoas. A nova edição do CTB de Bolso, por exemplo, foi toda distribuída com a cargueira da foto acima.  Com ela, garantimos emissão zero de gases poluentes e ainda mantemos a forma física para o curtir o verão.

Triciclo

Quando compramos algo, a primeira coisa que vem a mente é: dá pra levar de bicicleta? Foi assim que nasceu nosso primeiro triciclo de carga, que foi doado pela Bike Tech. Ele trabalhou duro transportando diversos tipos de materiais, participando de eventos e ajudando amigos a transportar tudo que fosse possível levar. Ele ficou conosco até ser doado para o projeto Passeio Completo, que a batizou de “Carmem Miranda”.

IMG_7981

Para substituir o triciclo, compramos a cargueira da foto acima. Ela levou todo tipo de carga possível e também transportou o jornalista André Trigueiro durante as gravações da reportagem sobre 10 anos do Programa Cidades e Soluções.  Quando a Bullitt chegou, primeira foto, ela foi doada para Ciclo Orgânico, uma empresa carioca que uniu bicicletas e compostagem.

IMG_2852

Cada vez mais presentes nas cidades, com seus diferentes tipos e modelos, as bicicletas de carga são gradativamente mais usadas para também transportar pessoas. Em março de 2019, fomos até o aeroporto Santos Dumont receber o Jonas Hagen, colaborador da TA em Nova Iorque. Pedalamos sob chuva até Copacabana com toda bagagem nas bicicletas. Zero emissão de poluentes, consumo de combustível e muita diversão envolvida. Você já pensou em chegar de viagem e ser levado pra casa de bicicleta?  Assista um vídeo com o mesmo trajeto, realizado em outra ocasião, pelas ciclovias que ligam o aeroporto à zona sul da cidade.

IMG_1304

Também usamos reboques como o da foto abaixo. Eles podem ser uma ótima alternativa para quem não tem espaço para uma bicicleta de carga. Atualmente é possível encontrar uma grande oferta de reboques, com diversos formatos e capacidades de carga, alguns já fabricados no Brasil inclusive. Existem modelos que são projetados especialmente para levar crianças. Mas isso a gente vai contar em uma publicação exclusiva sobre o tema.

IMG_0615

Faz tempo estamos envolvidos com o tema das bicicletas de carga, em 2015, a pesquisa “Contagem de Estabelecimentos Comerciais com Entregas por Bicicleta”, realizada no quilômetro quadrado mais denso de nove bairros do Rio, mapeou 7524 entregas por dia, sendo o bairro de Copacabana o que realiza mais entregas. Outra pesquisa de 2011 sobre o tema nos rendeu o Prêmio Cycling Visonary Awards e recentemente traduzimos quatro manuais da European Cycle Logistics Federation que tratam sobre diferentes aspectos das bicicletas de carga.

IMG_1279

Existem iniciativas no exterior com sistemas de compartilhamento de bicicletas de carga, quem sabe um dia não temos algo parecido por aqui. seria uma bela oportunidade para que mais pessoas pudessem perceber que dá pra levar muitas coisas na bicicleta, com custo mais baixo, com mais diversão e muito mais qualidade de vida.

Crianças no Dia Seguinte

As bicicletinhas marcaram presença na exposição O Dia Seguinte. Entre 10 de outubro a 10 de novembro, mais de 300 crianças, juntamente com seus acompanhantes, participaram dos Jogos de Bicicleta e receberam um conteúdo completo sobre como aprender a pedalar sem o auxílio das conhecidas rodinhas auxiliares.

jdbods1

Promover os Jogos durante uma exposição sobre mudanças climáticas foi irado! Fazer isso envolvendo crianças e seus responsáveis foi melhor ainda. Entre cones, argolas de borracha e muita brincadeira, as conversas sobre como cuidar do lixo que produzimos em casa, fluíram com muita facilidade. Às vésperas das festas de final de ano, tivemos papos incríveis sobre a possibilidade de reciclar uma bicicleta usada ao invés de pagar um valor alto por uma nova, que por conta do crescimento das crianças, será usada por pouco tempo. Já parou para pensar como essa atitude pode causar um impacto positivo na preservação do meio ambiente?

jdbods3

A exposição registrou um público de mais de 30 mil pessoas e, para nossa surpresa, passaram pelos jogos um número significativo de adultos que não sabiam pedalar. Dessa forma, como sempre gostamos de fazer, compartilhamos tudo que a gente sabe para que mais pessoas usem bicicletas mais vezes, colaborando com um mundo cada vez melhor, com mais qualidade de vida nas cidades.

jdbods2

As técnicas mirabolantes e infalíveis para aprender a pedalar estão aqui e o folheto com os Jogos de Bicicleta, nesse link.

Boralá fazer o mundo girar!