Presença Brasileira na Conferência Anual EuroVelo 2018

Por Juliana DeCastroev

Desde 2015 o Núcleo de Planejamento Estratégico de Transporte e Turismo (PLANETT/UFRJ) elegeu a mobilidade ativa e o turismo sustentável como uma de suas principais frentes de trabalho. E, mais uma vez, a bicicleta se destaca como protagonista nessas áreas por meio do cicloturismo. Dessa maneira, é natural a busca por organizações de referências na disseminação de conhecimento e boas práticas sobre o assunto.

No Brasil a Transporte Ativo (TA) é uma referência há 15 anos na disseminação e produção de conhecimento sobre mobilidade ativa. E, como o PLANETT, acredita que o território nacional oferece uma diversidade regional incrível para a promoção do turismo de bicicleta. Por isso, PLANETT e TA junto com o Programa de Pós-Graduação em Turismo da Universidade Federal Fluminense (PPGTUR – UFF) organizaram o II Encontro para o Desenvolvimento do Cicloturismo em novembro deste ano no Rio de Janeiro.

E a fonte de inspiração para a realização do evento surgiu através do contato com os estudos produzidos sobre experiências bem sucedidas para desenvolver o cicloturismo no cenário internacional, onde se destaca  o trabalho da Federação Europeia de Ciclistas (ECF) que coordena o Projeto EuroVelo para fomentar o cicloturismo na Europa e organiza a Conferência Anual mais importante nessa área.

ev2

Atualmente o EuroVelo conta com uma rede de ciclovias de alta qualidade composta por 17 rotas integradas ao sistema de transporte, que permitem cruzar 42 países na Europa de bicicleta. A Essas rotas são utilizadas não apenas por turistas, mas também por moradores dessas regiões e até 2020 a meta é consolidar uma rede de 70.000 km, subindo para 19 o número total de rotas existentes.

Ao longo da implementação do EuroVelo diversos estudos foram produzidos para avaliar os impactos do projeto. E os resultados obtidos até o momento apontam para um crescimento contínuo na demanda na utilização das rotas e também da diversificação da oferta de produtos e serviços dedicado aos ciclistas. Em números isso representa uma movimentação de 2,3 bilhões de viagens por ano e 44 bilhões de Euros em receitas, superando a movimentação gerada com o turismo de cruzeiro na Europa no último ano.

E para melhor aproveitar as oportunidades existentes nesse cenário, foram criadas as Conferências EuroVelo e de Cicloturismo que são realizadas todos os anos desde 2012 com o objetivo de reunir todos os atores interessados na trocar experiências sobre cicloturismo, destacar as boas práticas e encorajar o desenvolvimento da própria rede EuroVelo. A estratégia para incentivar o engajamento das autoridades locais com o evento é torná-las as anfitriãs da Conferência, criando assim uma conjuntura favorável para que os participantes possam da desfrutar da experiência real de testarem infraestruturas, produtos e serviços voltados para o turista de bicicleta durante os dias do evento.

Durante os preparativos para a realização do II Encontro o Desenvolvimento do Cicloturismo, surgiu o convite da TA para que o PLANETT pudesse participar da Conferência Anual do EuroVelo 2018 com a intenção de extrair o máximo de conhecimento técnico sobre o desenvolvimento do cicloturismo na Europa. A conferência foi realizada entre os dias 26-28 de setembro em Limburg, na Bégica, ainda conseguimos liberação da ECF para participar como convidado especial da Reunião Anual dos Centros de Coordenação Regional do EuroVelo para compreender como se dá o processo de gestão e monitoramentos das 17 rotas e quais são as possibilidades de adaptação desse modelo para o desenvolvimento do cicloturismo no Brasil.

O foco da reunião era começar a desenhar a estratégia para dar continuidade ao desenvolvimento da rede EuroVelo até 2030, em especial, em relação à necessidade de melhorias enfrentar os desafios para o monitoramento do desempenho das rotas, padronização e manutenção da sinalização, a conectividade com os sistemas de transportes públicos, integração de soluções de TI para desenvolvimento de novos produtos e serviços para rede EuroVelo.

ev3

E, de fato, participar da Conferência foi impactante. Tanto pela qualidade da troca de experiências proporcionadas pela conferência, que certamente nos ajuda a construir a visão do que pode vir a ser o nosso “BrasilVelo”, mas também pela oportunidade de vivenciar momentos únicos, testando alguns dos produtos e serviços oferecidos em aos cicloturistas em Limburg.

Este ano foi a Conferência for realizada na cidade de Hasselt, capital de Limburg, premiada como a capital do cicloturismo após o desenvolvimento do projeto Experience XL e, certamente um dos pontos altos do evento, foi incluir na programação do evento 5 opções de biketours para que os participantes pudessem conferir se a cidade faz jus ao título.

Dentro do Projeto Experience XL foi inaugurada em abril de 2016 uma trilha de ciclismo em um lago da reserva natural De Wijers em Bokrijk-Genk  denominada “Cycling through Water”. Desde a sua abertura já atraiu mais de 500.000 ciclistas, abrindo novas oportunidades para a criação de novos modelos de negócio pensados para fortalecer o desenvolvimento regional aliado à conservação ambiental.

A trilha de bicicleta através da água leva os ciclistas através de um caminho de concreto de 212 metros de comprimento e três metros de largura com água ao nível dos olhos em ambos os lados. Cisnes e outras aves aquáticas flutuam na borda e observam os visitantes com curiosidade. No entanto, você poderia pensar como eu, se a construção da infraestrutura não poderia causar um impacto negativo no ecossistema, certo?! Mas, através de um trabalho integrado entre as autoridades locais de turismo e meio ambiente, o projeto permitiu gerou resultados positivos na melhoria na qualidade da água e também no incremento significativo no habitat dos anfíbios que vivem no local.

Certamente, mais uma valiosa oportunidade de aprendizado para nós, pois o sucesso alcançado com a rota cênica “Cycling Trhough Water” é decorrente do trabalho de longo prazo que vem sendo desenvolvido em Limburg para incorporar projetos turísticos inovadores e sustentáveis capazes de proporcionar uma experiência única para o usuário. Através desta e de outras experiências em curso, de ciclismo semelhantes, Limburg vem se destacando no cenário internacional como um destino cicloturísticos que alia inovação e respeito ao seu patrimônio ambiental e histórico-cultural.

Embora seja possível constatar a diferença entre os níveis de desenvolvimento do cicloturismo entre Europa e Brasil, os desafios a serem enfrentados são precisamente os mesmos. Entre eles, podem ser destacadas as necessidades de parcerias público-privadas, a estruturação de uma agenda de governança estratégica que integre as Políticas Públicas de Transporte e Turismo para viabilizar a criação e manutenção de infraestruturas cicloinclusivas, a promoção dos destinos turísticos e a captação de recursos para o financiar todo o processo.

Se você é um entusiasta do turismo de bicicleta e compartilha conosco da certeza sobre o potencial que o Brasil oferece para essa atividade, convidamos você a se juntar a nós. A cada dois anos será promovido um encontro para o desenvolvimento do cicloturismo em uma macrorregião diferente do Brasil para seguirmos avançando. Sem dúvida que existe um caminho viável para desenvolvermos o nosso “Brasil Velo”, aliás o trabalho já começou. Se você estiver interessado em participar, está mais que convidado para o III Encontro para o Desenvolvimento do Cicloturismo, que acontecerá em Blumenau em 2020. Fique ligado!

Encontro sobre Cicloturismo

973

Realizamos em parceira com PLANETT (Núcleo de Planejamento Estratégico de Transportes e Turismo) e Programa de Engenharia de Transportes/COPPE-UFRJ,  PPGTUR (Programa de Pós Graduação em Turismo) e Centro Carioca de Design, o II Encontro para Desenvolvimento do Cicloturismo no Brasil, evento cujo objetivo foi discutir o planejamento, gestão e monitoramento de circuitos de cicloturismo frente às Unidades de Conservação e além.

O Cicloturismo, seja urbano ou rural, está crescendo em todo mundo, inclusive no Brasil já possui diversas rotas para viagens de bicicleta que contam com infraestrutura para receber os cicloviajantes. Com mapas exclusivos e com uma rede de apoio, que inclui hotéis, pousadas e comércio local preparados para receber os ciclistas viajantes. Os efeitos positivos que o turismo de bicicleta gera na economia em torno dessas rotas já pode ser percebido. Dessa forma, acreditamos no potencial para desenvolvimento dessa modalidade e que a sua prática coloque cada vez mais bicicletas nas ruas, mais vezes.

iiedesc2

Para maior conhecimento do assunto, enviamos em setembro, a coordenadora do PLANETT, Juliana deCastro, para o Eurovelo, maior conferência mundial sobre o tema, que aconteceu na cidade de Linburg na Bélgica. Em breve teremos um post e relatos, mostrando mais sobre o momento do cicloturismo ao redor de nosso planeta.

Conheça a programação do II Encontro para Desenvolvimento do Cicloturismo no Brasil clicando aqui.
Conheça a relatoria do evento clicando aqui.

Bicicletas e segurança na PUC-Rio

puc26

Participamos da 26ª Semana Interna de Prenvenção de Acidentes de Trabalho promovida pela PUC-Rio, no dia 25 desse mês, e tivemos a oportunidade de compartilhar nossa experiência no mundo das bicicletas com alunos, servidores e professores da PUC-Rio. O encontro foi realizado no anfitetatro, localizado em uma área externa, rodeada por árvores e com vento fresco. Tivemos uma excelente receptividade e o público participou bastante, interagindo com trocas de experiências e perguntas sobre segurança, regras, leis, entre outros.

Escutamos relatos sobre um professor que há 40 anos sai do Camorim, zona oeste do Rio, e vai de bicicleta até a PUC-Rio, percorrendo uma distância de aproximadamente 60Km (ida e volta). Dividimos a mesa com integrantes da Comissão de Segurança do Ciclismo (CSC-RJ) que colaboraram com temas relevantes ao encontro.

Todos os presentes receberam um exemplar do CTB de bolso e do Guia Prenda ou Perca. Agradecemos o convite e celebramos o sucesso do encontro. Já participamos de 26 atividades a convite da PUC-Rio e, toda vez que vamos até o campus, ficamos felizes ao observar o bicicletário sempre cheio.

Sistemas de Bicicletas Públicas no Brasil

OBCgr

No dia 19 de outubro, realizamos a primeira oficina sobre Sistemas de Bicicletas Públicas, a nível nacional, com foco em representantes do poder público.

Durante 8 horas, técnicos, gestores e representantes do poder público de 8 cidades, 7 estados e 3 regiões do Brasil (Sul, Sudeste e Nordeste) tiveram a oportunidade de se conhecer e conhecer um pouco mais a realidade, desafios, soluções e oportunidades de cada cidade. Gerando intercâmbio entre os presentes.

Ainda durante a oficina, os presentes puderam escolher entre os participantes o caso mais inspirador, Fortaleza foi o destaque.

OBCBM

A oficina que começou com a apresentação de uma visão geral sobre o tema ao redor do mundo, terminou com um espaço de fala e escutas entre os participantes. Ainda durante o dia, os participantes puderam conhecer o Centro de Operações do Sistema Bike Rio, sede do evento.

Ao final, a tembici, patrocinadora do evento, entregou um relatório resumido sobre suas operações e dados dos sistemas locais das cidades presentes que possuem sistema operado por eles.

Tudo indica que a Oficina se repetirá, em outras oportunidades, em outras cidades.

Dia das crianças com Jogos de Bicicleta

Passamos o Dia das Crianças no Museu do Amanhã, promovendo os Jogos de Bicicletas. Foi uma oportunidade incrível para apresentar as bicicletas de equílibro para muitas famílias, de diversas partes do Brasil e até do exterior. Teve até adulto que pediu para entrar na foto! 🙂

MDA12

Toda logística para realização dos Jogos foi feita em bicicleta. Na foto abaixo, nosso reboque com as bicicletas e um quadro com a economia de emissões.

Os Jogos apresentam, de maneira divertida, atividades lúdicas para que cada criança treine o equilíbrio necessário para aprender a pedalar. As crianças participam, junto com seus amigos e familiares, de divertidas brincadeiras que fortalecem a confiança na condução da bicicleta. Os Jogos de Bicicleta foram desenvolvidos na Dinamarca e em 2011 a Transporte Ativo traduziu o folheto 6 Jogos de Bicicleta que foi originalmente escrito e produzido pela Federação dos Ciclistas Dinamarqueses (Dansk Cyklist Forbund – DCF), que faz parte da Cycling Embassy of Denmark. Agradecimentos especiais aos voluntários que apoiaram totalmente a atividade.